Maioria dos que têm smartphone está na classe C, diz estudo

Como era de se esperar, a concentração de dispositivos high-end é maior na faixa mais abastada

São Paulo – A maior base de proprietários de smartphones no Brasil está na classe C, segundo estima o levantamento ComTech, da Kantar Worldpanel, divulgado nesta quarta-feira, 22.

O estudo, referente ao primeiro semestre deste ano, entrevistou 27 mil indivíduos em 9 mil domicílios em todos os estados e constatou que 36% dos donos desses aparelhos estão na classe C, 34% são da classe D e 30% da classe AB.

Como era de se esperar, a concentração de dispositivos high-end é maior na faixa mais abastada (a empresa não divulgou a proporção).

A pesquisa levantou ainda o que mais incomoda e agrada os usuários de smartphones brasileiros.

Para 50%, a bateria é o que gera mais insatisfação, seguida de “memória”, com 27%.

Para 25%, o que incomoda na experiência é a “navegação na Internet”, enquanto 21% reclamam de conectividade, câmera, aplicativos e jogos (cada um com essa porcentagem).

Outros destacam negativamente a qualidade de chamada (19%); reprodutor de músicas (14%); qualidade do aparelho (13%); confiabilidade no hardware (9%); no software (7%) e digitação (6%).

Por outro lado, nos pontos que mais agradam os usuários de smartphones no país, 39% afirmam estar satisfeitos com a bateria, 34% com conectividade, qualidade do aparelho e câmera, e 24% com a qualidade da chamada.

Para 21% dos proprietários, os aplicativos, digitação e confiabilidade no hardware agradam.

Em seguida vem a navegação na Internet (20%), confiabilidade do software (15%), reprodutor de músicas (13%), memória do dispositivo (11%) e jogos (7%).