LinkedIn faz reforma geral no perfil dos usuários

Rede social profissional apresenta novidades que serão incorporadas nos próximos meses aos perfis dos seus mais de 175 milhões de usuários em todo o planeta

São Paulo – A rede social profissional LinkedIn anunciou estar incorporando novidades aos perfis. De acordo com o blog oficial da empresa, a ideia é que as novidades ajudem os seus 175 milhões de usuários a descreverem seus históricos profissionais, facilitem o encontro de novas oportunidades e também na construção de uma significativa rede de relacionamentos.

Segundo Aaron Bronzan, gerente de produto do LinkedIn, são três as modificações que serão incorporadas a todos os perfis do site nos próximos meses. A primeira delas está na maneira como os usuários expressam suas experiências profissionais. Agora, as habilidades e realizações serão exibidas com maior destaque e novas ferramentas de edição, para facilitar a atualização do perfil, também foram adicionadas.

A segunda mudança está na maneira como os usuários vão poder encontrar conexões e oportunidades. De acordo com Bronzan, o novo perfil facilitará a visualização das pessoas e companhias que fazem parte da rede do usuário e também promete facilitar o encontro de novas conexões.

A terceira modificação está na exibição da atividade compartilhada pelas conexões do usuário, que permitirá que ele se mantenha sempre atualizado com as novidades da sua rede de contatos. Por enquanto, contudo, o acesso ao novo perfil está sujeito ao envio de convites. Usuários da rede social que desejarem estar entre os primeiros a terem acesso às novidades do Linkedin podem se cadastrar na página que a rede social colocou no ar para explicar as modificações.

A rede social profissional passa por uma excelente fase, especialmente no Brasil. Em menos de um ano do início das operações da empresa em solo brasileiro, o LinkedIn, liderado por aqui por Osvaldo Barbosa de Oliveira, ex-Microsoft, anunciou ontem ter atingido a marca de 10 milhões de brasileiros cadastrados. O número leva o país ao terceiro lugar entre os mais presentes na rede social, atrás dos Estados Unidos e Índia e empatado com os britânicos.