LinkedIn atinge 10 milhões de usuários no Brasil

País chega a terceira posição em maior número de usuários da rede social profissional, atrás dos Estados Unidos e Índia e empatado com o Reino Unido

São Paulo – O LinkedIn, rede social profissional, anunciou hoje ter atingido a marca de 10 milhões de usuários brasileiros. Agora, o país é o terceiro maior em número de cadastrados, atrás apenas dos Estados Unidos e Índia e empatado com o Reino Unido. O anúncio vem às vésperas do aniversário de um ano do início das operações da empresa no país, que será comemorado no próximo mês.

“Em novembro do ano passado, este número era de 6 milhões de pessoas”, disse Osvaldo Barbosa de Oliveira, diretor geral do LinkedIn no Brasil, em evento para a imprensa. Segundo a equipe de Oliveira, foi a tradução do conteúdo do site para o português um dos fatores que ajudaram a impulsionar o número de usuários para o patamar anunciado hoje. “Esse número mostra ainda que os brasileiros estão usando a rede para construir a sua identidade profissional e para ser mais produtivo”, analisa o executivo.

Ainda no evento, além de divulgar a chegada à marca, o diretor-geral apresentou também uma pesquisa curiosa sobre o perfil dos brasileiros que usam a rede social. As cidades com o maior número de usuários são o Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo e as empresas com mais profissionais cadastrados no LinkedIn são a Petrobrás, o Banco do Brasil e Itaú.

Já em relação às instituições universitárias com o maior número de representantes, estas são a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Paulista (UNIP). As competências mais citadas pelos brasileiros presentes no LinkedIn são relacionadas ao software Microsoft Office, Power Point, Marketing, inglês e habilidades em negociação. Inclusive, completou Oliveira, 38% dos entrevistados pela pesquisa disseram que são bons negociadores e 63% revelaram produzirem listas como forma de organização.

Existem ainda quase 2 mil profissionais que se referem ao seu cargo como “DJ”, enquanto que quase mil brasileiros fazem alguma referência ao futebol em seu perfil. Além disso, a maioria dos CEOs cadastrados no LinkedIn brasileiro se chama Roberto.