Justiça condena homem a tuitar 100 vezes

O homem teria difamado uma editora de revistas por meio da rede social, na Malásia

São Paulo – A Justiça da Malásia condenou um ativista político a publicar um pedido de desculpas cem vezes no Twitter. O homem teria difamado uma editora de revistas por meio da rede social.

Segundo o blog The Next Web, Fahmi Fadzil disse que uma amiga sua não foi bem tratada pela revista “Female Magazine” e começou a disparar ofensas contra a editora Blu Inc Media, dona da publicação. Descontente, a editora acionou o homem na Justiça.

Cada uma das 100 mensagens, com o texto “Eu difamei a Blu Inc. Media e a Female Magazine. Meu tuíte sobre suas políticas não foi verdadeiro. Eu retiro aquelas palavras e peço desculpas”, precisará ser precedida com um respectivo número, como 1/100, 2/100, 3/100 etc.

Até o momento, Fadzil já publicou 34 mensagens. Apesar de ter perdido nos tribunais, o ativista tem ganhado uma série de seguidores. Segundo o jornal britânico The Guardian, cerca de 500 pessoas passaram a segui-lo desde o anúncio da sentença.