Jovens usuários de remédios contra ansiedade são mais propensos a vício, diz estudo

De acordo com a pesquisa, adolescentes que recebem receita de medicamentos contra ansiedade ou insônia possuem 12 vezes mais chances de abusarem dessas drogas

Médicos podem estar criando uma nova geração de viciados ao prescrever remédios contra ansiedade e insônia a adolescentes, afirma um estudo da Universidade do Michigan, nos Estados Unidos.

De acordo com a pesquisa, jovens que receberam receitas de medicamentos contra ansiedade ou insônia possuem 12 vezes mais probabilidade de abusarem dessas drogas do que aqueles que nunca foram receitados.

Quase 9% dos 2 745 adolescentes que participaram do estudo receberam alguma receita para combater a ansiedade ou medicamentos para dormir em algum momento da vida.

Desses, 3% receberam pelo menos uma receita nos últimos três anos, período do estudo.

“Reconheço a importância desses remédios para tratar ansiedade e problemas do sono. Porém, o número de adolescentes receitados e que usam o medicamento de forma errada é preocupante”, afirma a professora Carol Boyd, autora do estudo.

Segundo a pesquisadora, medicamentos contra ansiedade podem ser viciantes e até mesmo fatais quando misturados com narcóticos ou álcool.

O estudo da Universidade do Michigan também descobriu que os jovens que receberam receitas para remédios de ansiedade e insônia durante o estudo eram 10 vezes mais propensos a usar esses medicamentos de forma excessiva dentro de dois anos do que adolescentes que nunca foram receitados.

“Por que nossa juventude está ansiosa e insone? Será por que eles estão sob estresse, consumindo muita cafeína ou procurando um estado de alteração da mente?”, se pergunta a pesquisadora chefe da Universidade do Michigan.

O estudo recomenda que pais e adolescentes sejam melhor informados sobre o efeito desses medicamentos, padronizando uma espécie de aconselhamento antes que essas drogas sejam receitadas.