Jonathan Ive: o mago da Apple

Considerado o gênio do design, criador do iPhone e do iPad tem tanto poder na Apple quanto o presidente

São Paulo – O inglês Jonathan Ive é provavelmente o mais importante designer de produtos da atualidade.

Seus projetos são reconhecidos até por pessoas que têm aversão a gadgets. Entre os mais famosos estão o iPod e o iPhone, que ajudaram a definir a indústria da música e o mercado de smartphones.

Você pode até não ser um usuário da Apple, mas se o seu PC não é uma caixa bege sem graça, agradeça a Ive por isso. “O que o consumidor pensa sobre um produto define sua opinião a respeito da marca”, disse Ive em entrevista à revista inglesa T3, numa loja da Apple em Londres.

Nascido em 1967 na Inglaterra, Jonathan Ive estudou desenho industrial em Newcastle. Após se formar, montou um estúdio de design chamado Tangerine, e conquistou a conta da Apple.

Em 1992, mudou-se para a sede da empresa, na Califórnia, numa época em que a companhia de Steve Jobs enfrentava sua pior crise. Os primeiros projetos sob sua responsabilidade incluíam o MessagePad 110, tablet que nunca decolou. “Foi doloroso e educativo trabalhar numa empresa perto da falência”, afirma Ive.

O que aconteceu depois, com o retorno de Jobs e o lançamento de um hit atrás do outro, é outra história.

Ive é tranquilo, afável e dedicado ao trabalho. Parece fascinado por aquilo que faz e fala com reverência sobre a importância de proteger as ideias, desde as primeiras etapas da criação até o desenvolvimento dos produtos. “Nossos consumidores valorizam a simplicidade e a clareza”, afirma Ive.

É exatamente isso que ele e sua equipe se esforçam para fazer no desenvolvimento de cada produto, como o iPhone 5. Mas o trabalho do designer não se resume a projetar gadgets atraentes. Com a ajuda de especialistas, Ive precisa pensar em soluções também funcionais, como o desenvolvimento do sistema de ventilação do novo MacBook Pro Retina, que produz menos ruído.

Ive não gosta de falar sobre projetos que foram para a lata do lixo, mas admite que isso aconteceu algumas vezes na Apple. “Você tem de ser muito corajoso para dizer: ‘Isso não é bom o suficiente, vamos parar’.” Estar disposto a descartar uma ideia que foi acompanhada desde o início não é nada fácil. “Mas é parte importante do nosso trabalho”.

O laboratório do designer na Apple é envolvido em segredo. As janelas são pintadas e a maioria dos funcionários da empresa não é autorizada a entrar na sua sala. O que está sendo feito por lá agora? Ive não revela, mas atiça a curiosidade. “Estamos trabalhando em algo que parece ser o mais importante e melhor produto que já desenvolvemos.”