Japão faz proposta revolucionária para sediar Copa de 2022

País quer transmitir partidas do mundial 3D em estádios em todo o mundo

Madri – O Japão oferecerá à Fifa “uma proposta excelente, original e coerente” para sediar a Copa do Mundo de 2022, afirmou nesta segunda-feira em Madri o diretor-executivo do comitê de candidatura do país, Yuichiro Nakajima.

Com “208 sorrisos” como slogan, o Japão pretende unificar os 208 países da Fifa com a organização de um campeonato em 13 estádios de nova geração, como o “ecológico de Osaka”, projetado para a inauguração e a final, que terá uma capacidade de até 83.300 espectadores sentados e será construído junto à estação central de trens da cidade, utilizada diariamente por 2,6 milhões de pessoas.

Nakajima explicou que o projeto está enriquecido por propostas revolucionárias, que pretendem “mostrar as partidas em tempo real em estádios de todo o mundo, com imagens ultrarrealistas em três dimensões, captadas por 200 câmaras ao redor dos estádios, e oferecer uma visão de 360 graus dos jogos”.

A transmissão do campeonato pela internet em qualquer dispositivo portátil com tradução em 50 idiomas será outra das inovações do Mundial, que estará acompanhado de “revolucionárias festas de projeção em 400 lugares de todo o mundo, o que permitirá a 360 milhões de pessoas desfrutarem em tempo real do evento”.

“O Japão é o país ideal para organizar o Mundial, com credibilidade e confiabilidade. O melhor para o futebol e o melhor para o mundo, unindo os demais países. Nunca falhamos na organização. Estamos preparados para dar as boas-vindas a todo o mundo de uma forma como só o Japão pode fazer”, disse Nakajima.

Caso vença a disputa, o país asiático sediaria a Copa pela segunda vez, já que em 2002 foi um dos coorganizadores, junto com a Coreia do Sul.

Leia mais sobre Copa do Mundo

Siga as últimas notícias de Tecnologia no Twitter