Institutos SENAI de Inovação investem no salto para o futuro

Rede nacional de conta com 26 centros de pesquisa e desenvolvimento e apoia empresas na busca de soluções para os desafios da economia digital

A quarta evolução tecnológica está em curso e vem transformando o mundo com rapidez. Nesse cenário, novos negócios e desafios surgem em um mercado cada vez mais competitivo. Para ajudar a indústria brasileira a acompanhar esse movimento, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) implantou, nos últimos anos, 26 Institutos de Inovação, constituindo a maior rede de apoio à pesquisa e ao desenvolvimento no país.

Presentes em todas as regiões do Brasil, os Institutos SENAI de Inovação estão abertos a empresários dos mais diversos setores e oferecem equipamentos e profissionais preparados para resolver qualquer desafio. As equipes de pesquisa e desenvolvimento (P&D) trabalham com temas e tendências mundiais, como fábricas e produtos inteligentes, energias renováveis, bioeconomia e novos materiais.

O Instituto SENAI de Inovação em Laser, em Joinville (SC), por exemplo, é o único da América Latina dedicado à inovação de produtos e soluções com essa tecnologia. No Instituto de Automação da Produção, em Salvador (BA), estão instalados três supercomputadores que ajudam em cálculos complexos para exploração de petróleo na camada pré-sal. E, em Três Lagoas (MS), está localizada uma unidade especializada em biomassa, que desenvolve tecnologias para a geração de energias renováveis.

“Ninguém inova sozinho”, ressalta o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi. “É preciso haver parcerias. A instituição é, atualmente, a maior parceira do setor industrial na tarefa de inovar.”

Para implantar sua rede, o SENAI conta com o apoio de instituições que são referência global, como o Instituto Fraunhofer IPK, da Alemanha, e o Massachusets Institute of Technology (MIT), dos Estados Unidos. O trabalho realizado pelo MIT transformou-se em um livro, apresentado em 16 de maio no FÓRUM EXAME & VEJA – A Importância da Inovação na Era da Economia Digital, que reuniu alguns dos principais especialistas do Brasil e do mundo nessa área. “Os Institutos SENAI de Inovação têm a oportunidade de reforçar a capacidade de inovação no Brasil”, afirma um dos autores da publicação, Ezequiel Zylberberg, pesquisador do MIT Industrial Performance Center.

Pesquisa aplicada

Criada para ser uma ponte entre o meio acadêmico e as necessidades do empresariado brasileiro, a rede do SENAI atua com pesquisa aplicada e emprego prático do conhecimento no prazo exigido pelo mercado e com confidencialidade. Os institutos trabalham desde a fase pré-competitiva do processo de inovação, momento em que nascem os conceitos, até o desenvolvimento de protótipos, quando o produto está prestes a ser fabricado pela indústria.

Os projetos são custeados por di- versos modelos: recursos investidos diretamente pela empresa, por meio do Edital de Inovação para a Indústria, ou por fontes regionais e nacionais de fomento, como a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) – atualmente, financiadora de 11 institutos.

O SENAI também tem como objetivo estimular o empreendedorismo e reforçar o ecossistema de inovação no país. Para isso, apoia projetos inovadores de startups e coloca empresas recém-criadas em contato com grandes corporações brasileiras e multinacionais que contratam serviços, afim de fortalecer as cadeias de suprimento industriais.

Para mais informações, clique aqui.

 (ABC/Abril Branded Content)