Especialista prevê que IBM realizará maior demissão em massa de sua história

O boato de que a empresa iria demitir 26% de sua força de trabalho foi desmentido, porém apenas em sua dimensão. Milhares devem ir para as ruas até o fim do mês

Nas últimas semanas, um forte rumor tem se espalhado a respeito de um grande corte de funcionários na IBM.

O assunto ganhou repercussão após a publicação de um artigo na Forbes sob a assinatura do blogueiro de tecnologia norte-americano Robert X. Cringely, um pseudônimo.

Segundo a previsão de Cringely, o chamado “Projeto Chrome”, codinome da operação, estaria prestes a reduzir 26% da força de trabalho da gigante de tecnologia e impactando as operações em todo o mundo. O motivo para o início da reestruturação seria a queda na receita da companhia pelo 11º trimestre.

“O Projeto Chrome parece ser uma pura ação financeira – impulsionada pela comissão de executivos e projetada para fazer com que as finanças da IBM pareçam melhores para os próximos trimestres”, afirma Cringely no site da Forbes.

Isso significaria a demissão de mais de 110 mil funcionários, ocasionando no maior corte em massa que qualquer companhia dos Estados Unidos já tenha feito em pelo menos 20 anos.

Procurada pela INFO, a IBM Brasil declarou que sua posição global é de não comentar o assunto e que não há nenhuma estratégia nesse sentido nem no Brasil, nem em outros países.

Entretanto, a empresa assume que destinou 600 milhões de dólares para reestruturar seu quadro de funcionários – o que equivale a um fração bem menor do que os rumores falam.

A IBM também explica que contratou 45 mil pessoas e está atualmente com cerca de 15 mil oportunidades abertas no mundo inteiro para suas áreas de crescimento, como cloud, analytics, segurança, social e tecnologias móveis.

O posicionamento está alinhado com a resposta dada pela companhia ao blogueiro. Em nota, ela afirma não comentar rumores e que, no entanto, abriu uma exceção por essa especulação ser “totalmente ridícula”.

Ao comentar sobre a resposta da IBM em seu blog, Cringely afirma nunca ter chamado a redução na força de trabalho como “demissão em massa”.

Em vez disso, ele afirma – segundo suas próprias fontes – que outras táticas estão sendo usadas, como o afastamento de funcionários por baixo desempenho e a declaração de alguns gestores a seus subordinados dizendo que suas posições foram eliminadas como parte do Projeto Chrome.

Esta é a explicação de uma dessas fontes de Cringely (veja a declaração completa e em inglês neste link):

“Se você olhar pelo conselho de Endicott Alliance (uma organização de trabalhadores da IBM), verá que eles anunciam ‘oficialmente’ a demissão de alguns milhares de pessoas (acho que 12 mil), mas outros funcionários estão sendo demitidos por baixo desempenho.

E isso inclui pessoas que estão no programa para se aposentar em breve, pensando que isso as manteria seguras dos cortes. Porém, há uma brecha que diz que elas podem ser demitidas por baixa performance, e é exatamente por isso que muitos de meus colegas de longa data que são devotos e esforçados de repente começaram a receber as piores classificações de performance. Assim a empresa não precisaria arcar com os custos do pacote de demissão e nem pagar os impostos relativos à aposentadoria. Pura maldade.

O mesmo truque permite que a IBM não reporte as autoridades sobre as demissões. Antes, 10% dos funcionários “tinham” que receber feedbacks ruins, mas recentemente o número de classificações baixas está bem maior de acordo com alguns gestores. Então, é assim que eles farão isso. Alguns gerentes têm equipes que trabalham duro e cumprem toneladas de horas extras fazendo tudo que lhes é pedido, e acabam recebendo notas baixas de performance.

Eles também se livraram de alguns empregados quando venderam seus servidores x86 para a Lenovo, enviando várias pessoas que nunca haviam trabalhado com isso para lá. Ao saber disso, a Lenovo ofereceu melhores pacotes (benefícios e salários) aos funcionários e não se declarou a respeito.”

A situação da IBM ainda piorou para o público e para os empregados quando, nessa semana, o conselho de diretores da IBM decidiu conceder um aumento salarial para Virginia Rometty.

A chefe executiva e presidente do conselho da companhia ainda recebeu 3,6 milhões em bônus pelo ano de 2014 e um prêmio de incentivo 13,3 milhões de dólares em ações a serem pagos em 2018.

“Vamos chamá-la de Machete Rometty” – comenta um dos funcionários da companhia. *

Outros comentários de empregados com notícias sobre os feedbacks negativos inesperadamente e as demissões também podem ser vistos na página do conselho dos funcionários da IBM.

*Machete é um tipo de facão de mato.