Hackers turcos invadem contas da Unicef, Anistia e BBC no Twitter

As mensagens deixadas pelos hackers incluem termos como "Alemanha nazista" e "Holanda nazista"

Istambul – Dezenas de contas na rede social Twitter de corporações internacionais, desde meios de comunicação a organizações humanitárias, foram alvo de hackers nesta quarta-feira durante horas e alteradas com mensagens a favor do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, informa o jornal “Hürriyet”.

Entre as instituições afetadas estão Unicef, Anistia Internacional, determinadas contas de veículos de imprensa como “BBC”, Reuters, Forbes, Russia Today em espanhol, o jornal alemão Die Welt e o clube de futebol Borussia Dortmund, precisa o jornal.

As mensagens incluem os termos “Alemanha nazista” e “Holanda nazista” e a frase: “Esta é uma pequena bofetada otomana. Nos veremos em 16 de abril. Que disse? Aprende turco”.

A data se refere ao dia do referendo constitucional no qual os turcos votarão se entregam todo o poder executivo ao presidente, atualmente Erdogan.

Trata-se de uma reforma que causou polêmica na Turquia e enormes tensões com vários países europeus, entre eles Holanda e Alemanha, que impediram a realização em seu território comícios de ministros turcos.

A mensagem inclui um vídeo de Erdogan e se apresenta como um respaldo ao líder em seu enfrentamento com os governos e meios de comunicação europeus.

Na segunda-feira aconteceu um incidente similar nos Países Baixos, onde hackers, supostamente turcos, invadiram várias páginas web, entre elas a do Museu da Guerra holandês e de uma organização de voluntários cristãos, substituindo seu conteúdo com mensagens a favor de Erdogan.

Naquele caso, os hackers assinavam sua ação com a frase “Somos otomanos, somos Turquia, somos ‘akinci'”, em referência a um tipo de cavaleiros otomanos famosos, um nome usado também por um facção terrorista turca de ideologia islamita ultranacionalista.