Hackers que apoiam Governo Sírio invadem site da Forbes

Grupo que havia atacado sites do "The New York Times" e "The Financial Times" reivindicam ataque

São Paulo – A revista “Forbes” confirmou hoje ter sido vítima de um ataque cibernético que revelou dados dos usuários registrados em sua plataforma de internet, ação que notificou às autoridades e que foi reivindicado por um grupo que se autointitula Syrian Electronic Army.

Os piratas, que dizem apoiar o Governo do presidente sírio Bashar al Assad, asseguraram que foram descarregadas as bases de dados com os milhões de nomes de usuários, e-mails e senhas gravadas em “Forbes.com”, e publicaram uma amostra em sua conta no Twitter.

Em um primeiro momento ofereceram vender o conteúdo, embora posteriormente tenham assinalado que exporão a informação publicamente em uma página.

A “Forbes” emitiu um comunicado no qual certificava que tinha sido “alvo de um ataque digital” e que sua plataforma tinha ficado comprometida.

“Os endereços de e-mail dos usuários podem ter sido expostos”, comentaram os encarregados do meio que recomendaram a seus assinantes que mudassem suas senhas “por precaução”.

Esse mesmo grupo de “hackers” reinvidicou os ataques sofridos anteriormente por “The Financial Times”, “The New York Times”, “CBS” e outros meios.