Hackers pró-Assad derrubam site do The New York Times

Página do jornal ficou fora do ar na tarde desta terça após um ataque do Exército Eletrônico da Síria, que "sequestrou" o domínio do jornal

São Paulo – Os leitores digitais do The New York Times (NYT) não conseguiram acessar o site jornal durante uma parte da tarde desta terça-feira. O motivo:  um ataque de hackers. Esta foi a segunda queda do site em menos de duas semanas.

Segundo Marc Frons, que comanda a área de tecnologia do The New York Times, o nome de domínio do site foi comprometido após um ataque externo malicioso. Ele também instruiu os funcionários do jornal a serem muito cuidadosos ao enviar e-mails, para evitar roubo de informações. Os hackers não teriam de fato invadido o site do jornal, mas apenas “sequestrado” o seu domínio.

Frons afirmou em uma entrevista ao jornal que o ataque foi realizado por um grupo conhecido como Exército Eletrônico da Síria (SEA, em inglês), um grupo de hackers que apoia o presidente sírio, Bashar al-Assad. A informação foi confirmada pelo SEA no perfil do Twitter do grupo. 

O site saiu do ar pela primeira vez às 3 horas da tarde (horário de Nova York). Após ter retornado, os hackers agiram rapidamente para derrubá-lo novamente.

O SEA surgiu em maio de 2011, durante o início da guerra civil na Síria. Começou com uma série de ataques contra meios de comunicações sem fins lucrativos, como a página do presidente Barack Obama e da apresentadora Oprah Winfrey no Facebook. Segundo eles, objetivo era oferecer uma narrativa diferente do país a oferecida pela mídia.

Até hoje, o NYT não tinha sido atacado pelo grupo, que já interrompeu operações em sites como  The Financial Times. Em 15 de agosto o SEA atacou o Washington Post e a CNN, mas sem obter sucesso no site da CNN.

Segundo especialistas de segurança, o NYT também seria um dos alvos do ataque. Um dia antes, 14 de agosto, a página do jornal saiu do ar, num episódio mas que foi justificado pelo jornal apenas como uma falha técnica.

O grupo SEA afirmou também que sequestrou o registro de domínio do Twitter. O SEA postou uma mensagem na rede mostrando que conseguiu alterar o domínio para sea@sea.sy.

Frons afirmou que os ataques desta terça precisaram de mais habilidade do que os realizados anteriormente pelo grupo, como quando invadiram perfis da mídia como The Guardian e da Associated Press para divulgar informações falsas que abalaram o mercado financeiro.