Hackers deixam milhões de pessoas sem celular na Venezuela

Ataque foi promovido com ajuda de estrangeiros, diz ministro

São Paulo – Um ataque hacker deixou sete milhões de pessoas sem serviço de telefonia móvel na Venezuela, de acordo com um anúncio do governo local. O grupo que assumiu responsabilidade pela ação é chamado “Os Guardiões Binários”.

O alvo foi a rede GSM da operadora Movilnet, do Estado, na última quarta-feira. O ministro de ciência e tecnologia Hugbel Roa condenou o ataque e chamou os hackers de “terroristas” por afetarem a maioria dos 13 milhões de clientes da operadora. Para ele, a ação foi promovida com ajuda de estrangeiros que tentavam atrapalhar a comunicação no país.

Tirar o serviço de telefonia do ar foi uma das ações do grupo, que também tirou derrubou e hackeou sites do governo e de empresas privadas.

Fora isso, foram feitos cortes em cabos de fibra óptica que levam a internet a sete Estados na Venezuela.

O caso será investigado pelo governo.