Grupo hacker Anonymous ataca chefe do Banco Central dos EUA

O grupo, que teve alguns dos seus membros presos na Espanha e na Turquia na semana passada, teria criado o vídeo contra Ben Bernanke

São Paulo — Depois de comandar ataques virtuais a companhias como Mastercard e Visa e a governos da Espanha e Turquia, derrubando sites dessas instituições, o grupo Anonymous aparentemente se voltou contra Ben Bernanke, presidente do Fed, o banco central dos Estados Unidos. Um vídeo postado no YouTube no último sábado e atribuído ao grupo pede que sejam realizadas manifestações públicas até a renúncia de Bernanke.

É difícil precisar se o vídeo de fato foi publicado por membros do grupo ativista, que age de forma descentralizada e, como sugere seu nome, anônima. Além disso, há uma mudança de motivação no caso do Fed: o vídeo alega que Bernanke é o alvo da vez porque as políticas do Fed “buscam enriquecer uma minoria nos Estados Unidos”.

Nas ações anteriores, a alegação era que as empresas ou instituições atacadas haviam atentado de alguma forma contra a liberdade de expressão. Foi o caso, na semana passada, dos ataques a sites na Turquia. No episódio, o grupo criticava um projeto do governo de instalar filtros na internet para combater a podofilia, alegando que se tratava de uma forma disfarçada de censura à web no país. Nesta segunda-feira, 32 pessoas foram presas, acusadas de envolvimento no ataque aos sites.

Na semana passada, a polícia da Espanha prendeu outros três suspeitos de ligação com o Anonymous. Eles teriam participado da invasão dos sites do Banco Bilbao Vizcaya, segundo maior do país, e da companhia espanhola de energia Enel SpA.

Confira a seguir o vídeo atribuído ao Anonymous que incentiva manifestações contra o presidente do banco central dos Estados Unidos (em inglês):