Greenpeace protesta em Brasília contra leilão de usina de carvão

Brasília - O Greenpeace protestou nesta quarta-feira em frente ao Ministério de Minas e Energia, em Brasília, contra a proposta do governo de oferecer a empresas...

Brasília – O Greenpeace protestou nesta quarta-feira em frente ao Ministério de Minas e Energia, em Brasília, contra a proposta do governo de oferecer a empresas privadas as operações de três novas usinas térmicas movidas a carvão.

O leilão que será realizado amanhã representa a retomada do carvão como fonte de energia depois de quatro anos sem ser ofertado no mercado elétrico brasileiro.

Em protesto, o Greenpeace despejou uma tonelada e meia de carvão em frente ao ministério. Além disso, entregou uma carta ao ministro da pasta, Edison Lobão.

No documento, que foi distribuído aos jornalistas, a ONG disse que a retomada do uso do carvão como fonte de energia representa um “retrocesso histórico para o país” e alertou que “de todos os combustíveis fósseis” este é o que “mais emite mais gases poluentes”.

O Greenpeace lamentou que “enquanto o mundo inteiro procura formas mais limpas de gerar energia, o Brasil ignora seu enorme potencial de fontes renováveis, como solar, eólica e biomassa, para optar pela mais suja de todas”.

Dos projetos de usina a carvão que serão leiloados amanhã, dois ficarão no Rio Grande do Sul e o outro no Rio de Janeiro.