Greenpeace pede incentivos para estímulo de energias renováveis

São Paulo - A  organização ambiental Greenpeace Brasil pediu ao Governo Federal um plano de eficiência energética, ajudas para a compra de painéis solares e outras...

São Paulo – A  organização ambiental Greenpeace Brasil pediu ao Governo Federal um plano de eficiência energética, ajudas para a compra de painéis solares e outras medidas para um “cenário limpo e sustentável”, no relatório Revolução Energética, que apresentou nesta terça-feira.

Para o Brasil, o prazo para uma realidade de sustentabilidade é 2050, um “horizonte longo”, mas que seria o tempo necessário para a redução de emissão de gases contaminantes e para responder às mudanças climáticas, afirmou o engenheiro elétrico Ricardo Baitelo.

“O objetivo é criar um plano de metas brasileiro de hoje até daqui a 40 anos, por isso é preciso ter políticas claras para gerar eficiência energética, atraindo, por exemplo, indústrias sustentáveis para o país”, explicou Baitelo à Agência Efe.

O membro de Greenpeace pediu ao governo para que sejam dados incentivos fiscais a empresas com foco sustentável e para que seja aquecido o mercado de painéis solares, proporcionando uma diminuição de custo para facilitar sua instalação em casas.

A arquitetura dos prédios brasileiros pode ser também uma das grandes ideias para estimular a energia renovável, segundo ele. “A forma como um prédio é construído faz toda a diferença, e ele pode ser pensado com fontes renováveis de energia, aproveitando forças do vento e do sol, por exemplo”, disse Baitelo.

O relatório propõe alternativas ao uso de combustíveis fósseis e energias de grande impacto ambiental com investimentos em energias renováveis, descentralização da produção elétrica e medidas de eficiência energética.