Google lança projeto para tentar salvar 3.054 idiomas em risco

Site se propõe a ser um acervo documental, com vídeos, fotos e áudio, de várias línguas que podem desaparecer em alguns anos

São Paulo – O planeta conta com cerca de 7 mil idiomas, responsáveis por ajudarem milhares de pessoas a se comunicarem. Deste número, aproximadamente 3.054 idiomas estão correndo sérios riscos de acabarem extintos nos próximos 100 anos. Porém, uma iniciativa lançada hoje pelo Google tem o objetivo de tentar salvar, ou pelo menos registrar, a existência de cada um destes idiomas, o projeto “Idiomas em risco”.

De acordo com o Google em seu blog oficial, a ideia é que o site do projeto se torne um local no qual os interessados no assunto possam trocar conhecimento e pesquisas sobre temas relacionados ao idioma em questão. Além disso, quer ajudá-los a manter o registro e acervo cultural de um determinado idioma sempre atualizado.

No site, curiosos, e quem mais quiser conhecer este diverso mundo cultural, podem navegar em um mapa do planeta. Nele, pontos coloridos indicam a localização de um idioma em determinado país e apontam o seu nível de vitalidade. Ao clicar no ponto desejado, o usuário é então direcionado à sua página.

Um exemplo é o idioma Koro, recém-descoberto em cadeias montanhosas no nordeste da Índia e falado por cerca de mil pessoas. Na sua página é possível encontrar diversas informações, além de assistir a vídeos nos quais membros da comunidade explicam curiosidades sobre plantas locais. O site também oferece a possibilidade de se compartilhar as informações sobre cada língua no Google+, Facebook ou Twitter.

As informações sobre cada um dos 3.054 idiomas incorporados ao projeto são fornecidas pelo Catálogo de Línguas em Extinção (ELCat), da Universidade do Havaí, e pelo Instituto de Línguas e Tecnologia da Informação, da Universidade de Michigan. Há, contudo, o incentivo para que, não apenas os envolvidos, mas toda a sociedade contribua com informações sobre a língua, com amostras de texto, áudio ou vídeo, tornando-a acessível a todos.

Além do projeto, foi inaugurada também a “Aliança pela Diversidade Linguística”, que tem como objetivo fortalecer os esforços para a documentação dos idiomas em risco. A aliança irá auxiliar as comunidades na proteção e revitalização da língua.

O desenvolvimento e lançamento do projeto ficaram por conta do Google. Mas a ideia é que ao longo do tempo, a administração e o gerenciamento do “Idiomas em risco” fiquem nas mãos do Conselho Cultural dos Primeiros Povos (First People’s Cultural Council) e outras entidades dedicadas à proteção, documentação e estudo dos idiomas em extinção.