Advogado diz que Google já excluiu fotos de Dieckmann. Empresa nega

A atriz desistiu de entrar com uma ação na Justiça contra o Google. A empresa, porém, diz que não removeu as fotos do resultados das buscas

São Paulo – A atriz Carolina Dieckmann desistiu de entrar com uma ação na Justiça contra o Google. Segundo o advogado da atriz, Antonio Carlos de Almeida Castro, a empresa acatou o pedido feito pela defesa e começou a remover os links para as fotos da atriz nua. A constatação foi feita pela equipe de Almeida Castro. O Google não comenta o caso. O “prazo” dado pelo advogado para a empresa vencia ontem. Almeida Castro ainda deve se reunir com a equipe do Google na tarde de hoje para falar sobre o assunto.

Ontem, o Yahoo! já havia concordado em remover os links para as fotos de seu serviço de buscas. Na segunda-feira, o site Imagearn, utilizado para divulgar as 36 fotos da atriz, retirou do ar as imagens armazenadas em seu servidor após ser notificado. Com as medidas, a defesa da atriz conseguiu sufocar o acesso às fotos.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Gilson Perdigão, foi aberto “registro de ocorrência de extorsão qualificada por agentes [quando há mais de um envolvido no crime], difamação e furto”.

Antes de divulgar as fotos, os responsáveis procuraram a atriz tentando extorqui-la. Eles teriam pedido 10 mil reais em troca das imagens. O laptop de Carolina onde estavam as fotos foi encaminhado para perícia. O laudo deve ficar pronto em 15 dias. Agora, as investigações devem seguir sob a conduta da Polícia. O advogado de Carolina afirmou que acredita que a polícia chegará aos culpados em breve.

Atualização (12h20)

O Google afirma que não interfere em seu mecanismo de busca. Esta é a resposta oficial da empresa:

“O Google vem a público esclarecer que não interfere em seus resultados de busca. O mecanismo de busca do Google é um indexador, ou seja, uma ferramenta que procura conteúdos disponíveis na internet. Para que um conteúdo não apareça na busca do Google, é necessário entrar em contato com o site que hospeda esse conteúdo e solicitar sua remoção.”