Google Chrome ganha versão de 64 bits para Windows

O Google Chrome recebe otimizações para telas de alta resolução e ganha uma versão específica para Windows de 64 bits

São Paulo — Essa demorou. Em sua recém-liberada versão 37, o browser Chrome, do Google, finalmente passa a ter uma edição específica para Windows de 64 bits, além de melhor suporte a telas de alta resolução.

Will Harris, engenheiro da equipe do Google Chrome, diz que a edição de 64 bits é até 15% mais rápida que a de 32 bits. Ela é também mais segura e duas vezes mais estável que a versão de 32 bits. Ou seja, está muito menos sujeita a falhas e travamentos.

Apesar das vantagens, o Chrome não será atualizado automaticamente para 64 bits. Quem quiser migrar para essa nova versão deve baixá-la na página de download do browser. A opção aparece quando o usuário entra na página com um computador rodando Windows 7.x ou 8.x de 64 bits.

O Chrome de 64 bits não é compatível com plug-ins que usam a antiquada interface de programação NPAP, que o Google herdou da Netscape. Mas a NPAP não é suportada em dispositivos móveis e está sendo abandonada. Logo, isso não deve ser motivo para não usar o Chrome de 64 bits.

O suporte a telas de maior resolução é outra novidade que chega atrasada. Há anos os laptops com Windows 8 vêm ganhando telas de resolução cada vez mais alta. Mas o Chrome para Windows era incapaz de aproveitar bem os pixels extras.

A versão para Mac do navegador, ao contrário, foi otimizada para alta resolução apenas um mês depois de a Apple lançar seu primeiro MacBook Pro com tela Retina, em 2012. 

O Chrome para Windows passa a suportar a tecnologia DirectWrite, da Microsoft, que aumenta a nitidez de letras e números em telas de alta resolução. O Chrome de 32 bits continua sendo oferecido pelo Google, já que ainda há muitos computadores com Windows de 32 bits em uso.