Google abandona “primeiro clique grátis” para ajudar sites

O Google lançou o "primeiro clique grátis" como uma forma de expor conteúdo que estava bloqueado mediante o pagamento de assinatura nos sites de notícias

São Paulo – O Google vai abandonar o programa ‘primeiro clique grátis’ (FCF, na sigla em inglês), que permite que os usuários acessem conteúdos sem ter de pagar pela assinatura de um site, quando eles são direcionados a partir de um resultado na ferramenta de busca.

A mudança tem o objetivo de ajudar os veículos de imprensa a aumentar as taxas de assinatura em seus sites.

Segundo reportagem publicada no jornal The Wall Street Journal, o Google vai permitir que os sites decidam se querem oferecer o primeiro clique grátis.

Contudo, se eles preferirem não adotar o mecanismo, isso não vai ter influência no ranking de resultados nas buscas.

O Google lançou o FCF em 2007, como uma forma de expor conteúdo que estava bloqueado mediante o pagamento de assinatura nos sites de notícias.

Dessa forma, a empresa queria evitar que o usuário fosse bloqueado e, na época, acreditava-se que isso ajudaria o internauta a experimentar o conteúdo para, depois, decidir se gostaria de assinar o site.

O recurso é parte da busca de notícias, o Google News. O FCF sempre gerou polêmica entre o Google e os veículos de imprensa, que acreditam que o recurso reduz a taxa de assinaturas.

Segundo o jornal, o fim do programa foi resultado de uma negociação entre o presidente executivo do Google, Sundar Pichai, e o presidente executivo do conglomerado de mídia Newscorp, Robert Thomson.

No início de 2017, o The Wall Street Journal abandonou o FCF e viu seu tráfego de usuários a partir da busca do Google cair próximo de 45%.

Contudo, a empresa registrou um crescimento das conversões de assinaturas que chegou a quatro vezes o número registrado anteriormente.

O fim do FCF faz parte das medidas que o Google tem adotado para formar parcerias com veículos de imprensa e ajudá-los a aumentar a receita.

O Google, porém, não confirmou que o FCF foi abandonado, quando procurado pelo jornal norte-americano.