Galeria de arte usa realidade aumentada para “teste” de obras

Galeria de arte Emmathomas usa realidade aumentada para "test drive" de obras de arte em casa

São Paulo – As paredes que estavam brancas até pouco agora exibem obras de arte “penduradas” de artistas consagrados como os americanos Roy Lichtenstein e Andy Warhol, ícones da pop art.

A mudança pode até parecer magia, mas é nova forma que a galeria de arte sediada em São Paulo Emmathomas achou para que seus clientes vejam como obras ficariam nas paredes de suas casas.

Para isso, a galeria conta com o auxílio da realidade aumentada, conceito que vem se difundindo. Ao contrário da realidade virtual, na qual a pessoa mergulha em um mundo digital, a realidade aumentada mescla elementos digitais com o mundo real—pense na forma como os monstros do jogo Pokémon Go são exibidos no mundo real.

A solução encontrada pela galeria Emmathomas, em particular, usa os óculos de realidade aumentada HoloLens, criados pela Microsoft.

A galeria explica que essa estratégia toca em alguns pontos muito importantes dentro de seu negócio. A tecnologia tem sido aliada para que a galeria continue atuando no comércio de obras mesmo enquanto seu espaço físico, em São Paulo, é reformado.

Outro problema que a estratégia de uso de realidade aumentada resolve é a diminuição do transporte de obras de arte. Ao site EXAME, a galeria explicou que o transporte de uma obra de arte até a casa de um consumidor em potencial é algo caro e trabalhoso.

Transportar uma obra de arte de um lado para o outro implica custos de seguro, por exemplo. É preciso também uma equipe capacitada para o transporte. Tudo isso pode ser deixado de lado ao levar somente os óculos até a casa do cliente.

A tecnologia usada pela Emmathomas, criada pela ArtYou, empresa que trabalha com soluções de gestão voltadas para o mercado de arte, é capaz de “encaixar” e simular a presença de uma determinada obra no espaço residencial ou qualquer outro de preferência do cliente, dispensando os tradicionais custos (e riscos) do transporte das obras antes da venda concreta.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s