Fuji X-Pro 1

logo-infolab

Avaliação do editor Maurício Moraes / O design retrô da X-Pro 1 é uma homenagem às clássicas câmeras do século 20. Por dentro, traz tecnologia de ponta e produz imagens de excelente qualidade. Isso porque usa novo tipo de sensor criado pela Fujifilm, que registra cores de modo semelhante ao de um filme de 35 mm. O foco podia ser mais veloz.

Avaliação do editor Cauã Taborda / Antes de começar a apontar os inúmeros recursos da X-Pro 1, é preciso deixar claro três grandes pilares do modelo: qualidade das imagens estáticas, estilo e corpo compacto. Isso faz com que essa câmera híbrida tenha um público bastante específico. O grande funil é seu preço de 7.999 reais, um valor muito alto para uma máquina com um pequeno conjunto de lentes. Até o momento a Fuji oferece três lentes com distância focal fixa. Há uma grande angular de 18 mm e abertura f2 (27 mm equivalente), uma de 35 mm e abertura f1,4 (53 mm equivalente) e a última de 60 mm e abertura f2,4 (90 mm equivalente). Por esse motivo, o adaptador da Fujifilm para baionetas M será um acessório fundamental.

Por dentro, a X-Pro 1 pode ser considerada uma maravilha tecnológica por qualquer entusiasta de fotografia digital. A câmera traz um novo sensor X-Trans CMOS. Em uma linguagem mais prática, ele torna a captação de imagem mais próxima dos cristais de halogeneto de prata (dos filmes 35 mm), que gera imagens com cores muito mais fiéis em relação aos CMOS e CCDs comuns.

Por fora, a máquina tem um design muito interessante. Construída em plástico com partes emborrachadas, seu peso de 445 g fica acima de outros modelos da categoria, mas não chega a incomodar. Os controles foram posicionados para retomar os modelos clássicos da Fuji. Apesar de bonitos, eles não são dos mais práticos. Sua lógica evidencia outra característica da câmera: a X-Pro 1 não é uma máquina para iniciantes. Para compreender a interface e os controles é necessário um certo conhecimento de fotografia, seus símbolos e siglas. Não há também um modo automático, ou seja, apontar e clicar não vai dar certo.

Para os iniciados, o controle total sobre todos os fatores de composição da imagem é muito satisfatório. Mesmo assim, é necessário certo tempo para se habituar ao sistema um tanto quanto singular do aparelho. Um exemplo é o modo Auto. Nas rodas de abertura e velocidade há uma opção “A” que automatiza o ajuste em questão. Quando ambos estão em Auto, a câmera acusa o modo Programa. Quando mudamos a abertura, o visor passa a indicar Prioridade de Abertura. Similarmente, se mudarmos a velocidade, a tela exibe o tradicional “S”. Caso ambos saiam do Auto, o modo se torna Manual.

Vencidas as barreiras de interface (física e eletrônica), a câmera merece muitos elogios. O sensor de 16,3 megapixels registra imagens no formato RAW e JPEG, com sensibilidade ISO entre 100 e 25.600. O grande diferencial é o baixo nível de ruído, que se torna aparente à partir do ISO 1250, e quase intolerante acima do ISO 4000. Mesmo assim, para uma híbrida a sensibilidade ficou acima do esperado. Durante nossos testes a nitidez das imagens e a fidelidade nas cores foram os pontos que mais chamaram atenção. Veja as fotos abaixo.

Registrando imagens em 0,11 segundos, a X-Pro 1 não é das máquinas mais rápidas. Outro ponto que depõe contra a câmera é o autofoco extremamente lento. O uso para cenas rápidas, como fotos de esportes ou em movimento pode gerar muito transtorno. O anel de foco das lentes enviadas ao INFOlab também se mostrou muito duro, uma combinação cruel com um sistema lento de AF.

A gravação de vídeo na câmera parece ter sido incluída por obrigação. As imagens são registradas em 1.080p a 25 quadros por segundo. Não há efeitos, codecs alternativos (ela utiliza h.264 em MOV), outras opções de frequência ou qualquer coisa do gênero. O sistema de AF lento também não ajuda nem um pouco. No entanto, ela filma até 29 min, mais do que a média das DSLR. A regulagem de abertura fica liberada, mas não a de ISO.

Vídeo

http://videos.abril.com.br/info/id/bbdb2d1e64bd9800e0b0d45fdfc18e7e

Ficha técnica

Pixels efetivos 16,3 MP
Filmagem 1.080p
LCD 3
Peso 445 g
Cartão SD/SDHC/SDXC

Avaliação técnica

Prós Alta qualidade de imagem; muitos ajustes manuais e ótimo sensor.
Contras Oferta limitada de lentes; AF muito lento;
Conclusão Indicada para fotógrafos profissionais e entusiastas que buscam um equipamento compacto.
Imagem 8,4
Velocidade 7,8
Objetiva 8,0
Visor 9,3
Recursos 8,5
Design 8,0
Média 8.3
Preço 7999