Fintechs oferecem financiamento de imóvel via internet

Startups usam aplicativos e sites para desburocratizar acesso ao crédito

São Paulo – Quem deseja financiar um imóvel precisa consultar as taxas de diferentes bancos e ter uma determinada renda para ter acesso ou não ao crédito. Nesse setor, a fintech CrediHome, fundada em 2018, tenta inovar ao oferecer o financiamento imobiliário online, com garantia imobiliária e análise de crédito vinculada ao valor do imóvel.

Na liberação do crédito, a empresa utiliza um recurso que chama de índice de liquidez. Ela avalia dados sobre a localização do imóvel e seu tamanho para chegar a uma decisão, que compõem dois terços dos itens avaliados para a liberação do crédito, além da renda da pessoa.

No ano passado, a empresa oferecia somente financiamentos imobiliários por meio de outros bancos. Era como um cardápio de propostas que você recebia e escolhia a melhor para você. A partir deste ano, a startup passou a ter um fundo próprio para financiamentos e análise de crédito. Tudo acontece no ambiente digital.

O algoritmo usado pela empresa para fazer essa avaliação utiliza dados de portais imobiliários e um histórico de transações realizadas nos últimos anos. Com um total de 70 variáveis analisadas, a fintech chega a uma taxa de juros adequada para o imóvel que o consumidor almeja financiar. A contratação pode acontecer tanto via site quanto via aplicativo da CrediHome.

A CrediHome aposta na experiência do cliente, seguindo o exemplo das demais fintechs, como o Nubank, e oferece uma assessoria, via canais digitais ou telefone, desde a aprovação do crédito até a liberação do recurso.

A fintech atua em um mercado grande. O financiamento com garantia em imóveis é um setor que fatura anualmente cerca de R$ 15 bilhões. Desse valor, 70% está concentrado em grandes bancos. A CrediHome rivaliza com empresas como a Bcredi, que também oferece financiamento contratado via canais digitais. Em três dias a empresa libera o crédito solicitado para o financiamento, enquanto bancos podem levar mais de um mês.

A taxa de juros dos financiamentos oferecidos pelas fintechs, porém, pode ser mais elevada do que a dos bancos, chegando a 11%. No entanto, elas surgem como mais uma opção que oferece velocidade para a contra de um imóvel ao desburocratizar o setor com o uso de plataformas digitais.