Filme polêmico sobre o Facebook estreia hoje nos EUA

Produção tem recebido elogios da crítica, mas história é contestada por fundador da rede social. Lançamento no Brasil será no dia 3 de dezembro

São Paulo – Depois de gerar controvérsia entre críticos, o filme “The Social Network” (“A Rede Social”), um dos mais aguardados do ano, chega nesta sexta-feira (1º) às salas de cinemas norte-americanas para contar ao grande público como teria sido criada a rede social Facebook. Os brasileiros terão de esperar um pouco mais: a estreia será apenas no dia 3 de dezembro.

O longa gera polêmica ao mostrar uma imagem de badboy de Mark Zuckerberg, um dos fundadores do site e atual presidente-executivo da empresa. O roteiro é baseado no livro “The Accidental Billionaires: The Founding of Facebook, a Tale of Sex, Money, Genius and Betrayal” (“Bilionários por Acaso – Uma História de Sexo, Dinheiro, Genialidade e Traição”), de Ben Mezrich, cujo texto é totalmente rejeitado por Zuckerberg. O executivo já adiantou que, assim como ignorou o livro, não assistirá ao filme.

Para escrever “Bilionários por Acaso”, que será lançado ainda este mês no Brasil, Mezrich colheu depoimentos de diversas pessoas próximas à criação do Facebook, mas não foi recebido pelo presidente da rede social. No livro, o Zuckerberg é retratado como um estudante inteligente, porém desajeitado e problemático, que teria roubado ideias e traído a confiança de amigos para fundar o Facebook.

Na época do lançamento, o livro de Mezrich tornou um bestseller nos Estados Unidos, chegando à quarta posição na lista das obras de não-ficção mais vendidas do New York Times, e à primeira colocação na classificação do Boston Globe. A expectativa é que o filme sobre a rede social mais popular do mundo repita o sucesso do livro. Apresentado pela primeira na semana passada na abertura do Festival de Cinema de Nova York, nos Estados Unidos, o longa tem sido bem recebido pela crítica.

Ao mesmo tempo em que o lançamento da produção se aproximava, Zuckerberg ganhava cada vez mais exposição na mídia. Depois que sua rede social chegou à marca de 500 milhões de usuários, a empresa já teve seu valor de mercado estimado em até US$ 33,7 bilhões pelo jornal Financial Times, enquanto crescia a expectativa de um IPO (venda inicial de ações) da companhia.

A valorização do Facebook também aumentou a fortuna pessoal do executivo, que, aos 26 anos, já é um dos dez homens da indústria da tecnologia mais ricos dos Estados Unidos, com patrimônio é estimado em US$ 6,9 bilhões. No início de setembro a revista Vanity Fair o elegeu como a pessoa mais influente da Era da Informação, à frente de nomes como Steve Jobs, a Apple, e Rupert Murdoch, da News Corp.

Em resposta a uma eventual repercussão negativa que o filme “The Social Network” poderia causar à sua imagem, Zuckerberg chamou para si os holofotes ao ir até o programa da apresentadora Oprah Winfrey para anunciar a doação de US$ 100 milhões para escolas públicas da cidade de Newark, em Nova Jersey. E se a popularidade não é suficiente, o empresário ainda aparecerá como personagem de um episódio de Os Simpsons e será protagonista de uma história em quadrinhos nos próximos meses.

Confira o trailer de “A Rede Social”:

Leia outras notícias sobre o Facebook

Siga as notícias de Tecnologia do site EXAME no Twitter