Ferramenta para o Twitter faz com que posts se autodestruam

São Paulo – Um antigo engenheiro de software do Twitter lançou nesta semana um recurso de autodestruição de tuítes. Chamado Spirit, a ferramenta online se integra...

São Paulo – Um antigo engenheiro de software do Twitter lançou nesta semana um recurso de autodestruição de tuítes. Chamado Spirit, a ferramenta online se integra à conta de um usuário e apaga automaticamente posts marcados.

Fazê-lo funcionar é fácil: basta adicionar uma hashtag às postagens, indicando o tempo pelo qual ela ficará “viva” – #1m (minuto), #2h (hora), #7d (dias) e #4y (ano), por exemplo. Passado o período, o tuíte é removido. O acesso aos dados do usuário pode até parecer suspeito, mas ferramentas assim ainda tem acesso liberado à API do Twitter.

O serviço começou a funcionar no começo desta semana, e algumas utilidades práticas já foram encontradas para ele. Uma delas é a remoção de alertas de tempestades e furacões, que continuam sendo retuítados mesmo após a passagem. Outra, menos útil, é a contagem regressiva para datas comemorativas.

A proposta do Spirit, no entanto, não é nova. Outra ferramenta com a mesma ideia, o Efemr, apareceu em meados de abril deste ano, mas não ganhou muita popularidade – pelo menos é isso que sugere a página do Twitter do serviço, com pouco mais de 100 seguidores.

A grande diferença entre ambos os apps são as formas de pagamento. O pioneiro tem uma versão gratuita bem limitada – dá para tuitar apenas em um campo especial –, e é preciso pagar para aproveitar os recursos no próprio Twitter. O Spirit, por sua vez, é gratuito, e exige apenas que o usuário faça login na página e autorize o acesso à conta.

Para evitar uma sobrecarga, o criador do projeto está limitando o uso da ferramenta. Há uma “fila de espera” ainda longa, e as pessoas estão sendo liberadas aos poucos. Por isso, depois de abrir o Spirit, é preciso esperar o recebimento de uma mensagem no Twitter para começar a usá-lo.