Falha grave de segurança do WhatsApp permite que mensagens sejam editadas

Brecha na criptografia do mensageiro que pertence ao Facebook foi descoberta no ano passado

São Paulo – Uma falha de segurança do WhatsApp está permitindo que hackers alterem o conteúdo de mensagens enviadas no aplicativo. A revelação foi feita na quarta-feira (7) pela empresa de segurança virtual israelense Checkpoint Research durante um evento em Las Vegas, nos Estados Unidos.

O problema ocorre em um processo de criptografia do mensageiro e torna possível manipular a função citar do aplicativo para criar mensagens falsas que teriam sido enviadas por uma pessoa durante a conversa.

Outra possibilidade é burlar o recurso que permite o envio de mensagens privadas em uma conversa em grupo. Assim, o destinatário não saberia se a mensagem recebida foi vista apenas por ele ou por todos os integrantes do chat.

De acordo com os pesquisadores, a brecha foi identificada ainda no ano passado. Em agosto de 2018, a companhia enviou uma notificação para o Facebook corrigir o problema. Conforme revelaram os pesquisadores nesta semana, isso não foi feito desde então.

A justificativa seria de que a companhia de Menlo Park, na Califórnia, teria dito que seria impossível resolver o problema por “limitações de infraestrutura”. A empresa de Mark Zuckerberg ainda não se manifestou sobre o assunto.

Comprado pelo Facebook em 2014 por 22 bilhões de dólares, o WhatsApp tem 1,5 bilhão de usuários em todo o planeta.