Facebook muda de ideia e quer governos ativos na regulação da Internet

Zuckerberg pede regulações em quatro áreas: conteúdo prejudicial, proteção de eleições, privacidade e portabilidade de dados

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, pediu neste sábado um “papel mais ativo” dos governos na regulação da Internet e instou a que mais países adotem regras para proteger a segurança como as da União Europeia (UE).

O Facebook e outros gigantes da internet resistiram durante muito tempo à intervenção governamental, mas a rede social mudou sua postura em meio aos crescentes pedidos de regulação. “Acredito que necessitamos um papel mais ativo dos governos e dos reguladores”, escreveu Zuckerberg em uma coluna de opinião publicada no The Washington Post. “Ao atualizar as regras para a Internet podemos preservar o melhor da rede – a liberdade das pessoas para se expressar e dos empreendedores para criar coisas novas – enquanto ao mesmo tempo protegemos a sociedade de um dano maior”, apontou.

Zuckerberg considera que são necessárias novas regulações em quatro áreas: conteúdo prejudicial, proteção de eleições, privacidade e portabilidade de dados.

Zuckerberg disse que apoia que mais países adotem regras como o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados da União Europeia, que dá aos reguladores poder para sancionar organizações que não cumprem os padrões de segurança estabelecidos ao processar informação pessoal.

“As regras que governam a Internet permitiram a uma geração de empreendedores construir serviços que mudaram o mundo e geraram um grande valor na vida das pessoas”, disse.

“É hora de atualizar estas regras para definir responsabilidades claras para as pessoas, as companhias e os governos no futuro”.