Facebook libera opções customizadas de gênero

Em 2013, era possível escolher entre mais categorias do que apenas “masculino” e “feminino” na rede. Mas, agora, o campo passou a ser completamente editável

São Paulo – Apesar da forte carga de conceitos ultrapassados e a presença recorrente do discurso de ódio, o debate sobre identidade de gênero tem conseguido ganhar algumas batalhas.

Um exemplo surgiu nesta semana: agora é possível escolher livremente com qual gênero você quer ser identificado no Facebook.

Desenvolvida pelo departamento interno Facebook Diversity, a iniciativa não é um ponto fora da curva.

Já em 2013 era possível escolher entre mais categorias do que apenas “masculino” e “feminino” na rede social.

Mas, agora, o campo passou a ser completamente editável.

Em um movimento que incentiva a quebra de categorização excessiva, é permitido que o usuário se classifique como quiser: masculino, feminino, transgênero, assexuado ou até como um objeto.

Os facebookianos podem ainda definir quem terá permissão para visualizar a identidade de gênero escolhida.

Possibilidade semelhante ao que já acontece com outras informações pessoas como localidade, emprego ou formação acadêmica.

Por enquanto, a opção só está disponível para os internautas que tenham contas de Facebook configuradas no idioma US English.

Para modificar, basta ir às configurações pessoais e digitar o gênero desejado.

Além disso, é possível escolher qual pronome o usuário quer associado a si próprio: “him” (ele/dele), “her” (ela/dela) ou “them” (eles/deles).

O que você acha da iniciativa do Facebook?