Facebook lança recurso para ser menos viciante

Ferramenta traz alguns dados e permite limite de uso, mas ainda é bastante limitada para o que propõe

São Paulo – O Facebook começa a liberar hoje (21) o recurso “Seu tempo no Facebook”, que permite que os usuários controlem o tempo gasto navegando na plataforma. Além de informações como os dias da semana e horários em que costumam acessar mais a rede social, as pessoas também poderão definir um limite de uso diário caso considerem que precisam diminuir a frequência com que conferem sua linha do tempo.

O recurso, que foi lançado em versão semelhante para o Instagram na última semana, é encontrado na área “Configurações e privacidade” do aplicativo e está disponível para Android e iPhone. A ferramenta está sendo implementada no Brasil de forma gradual e não é encontrada na versão web do Facebook.

A função também permite configurar lembretes para que o usuário saia do app após um certo tempo, além de apresentar atalhos para configurações de notificação, feed de notícias e solicitações de amizade.

Segundo o TechCrunch, o recurso era estudado pelo Facebook desde junho. Um porta-voz da empresa justificou o atraso dizendo: “nós normalmente lançamos nossos recursos lentamente para poder identificar bugs com antecedência e resolvê-los com rapidez”.

Tendência é dar mais controle aos usuários

Além de chegar com certo atraso, a iniciativa do Facebook fica atrás de recursos maiores lançados meses antes pelo Google e pela Apple, que inseriram ferramentas de monitoramento de uso nas versões recentes do Android Pie e do iOS 12. As versões do Facebook e do Instagram não ajudam muito o usuário, limitando-se a notificações sobre o uso diário dos apps.

O “Screen Time” (“Tempo de tela”, em tradução livre) do iPhone entrega por padrão um relatório semanal de uso, apresentando as informações aos usuários mesmo que eles não queiram buscá-las inicialmente. O painel de controle do “Digital Wellbeing” (“Bem-estar digital”) do Android vai além, exigindo que os usuários naveguem até as configurações para desbloquear um aplicativo depois que o limite de uso estimado é atingido.

Comparativamente, a empresa de Mark Zuckerberg não parece muito empenhada em tornar o recurso atraente para seus clientes e conduzi-los a um comportamento mais saudável online e a um uso menos nocivo dos aplicativos.

Primeira versão não resolve o problema

No primeiro semestre de 2018, Zuckerberg disse em um relatório de resultados que “[a pesquisa que fizemos] sugere que quando as pessoas usam a internet para interagir com outras pessoas e construir relacionamentos, isso está correlacionado com todas as medidas positivas de bem-estar esperadas – como saúde e felicidade a longo prazo, sentir-se mais conectado e menos solitário -, e consumir conteúdo não é necessariamente positivo nessas dimensões”.

A maneira como o recurso “Seu tempo no Facebook” é apresentada não parece atender aos resultados da análise da própria empresa, já que não apresenta detalhes mais qualitativos sobre o uso, como quais são as seções e os recursos do site que cada usuário explora mais (linha do tempo, interação em grupos, exploração do histórico, curtidas em perfis de amigos etc) e quanto tempo passa em cada um deles.

A rede social possui todas essas informações sobre seus usuários, mas, em um primeiro momento, não parece querer compartilhá-las com quem as fornece gratuitamente.