Facebook admite falhas na comunicação em experiência com usuários

'Isto fazia parte de uma pesquisa para testar diferentes produtos e existiram falhas na comunicação', admitiu a chefe operacional e da rede social, Sheryl Sandberg

O Facebook admitiu nesta quarta-feira que existiram falhas na maneira de comunicar o experimento que três pesquisadores realizaram em 2012, quando modificaram os conteúdos apresentados no feed de notícias de quase 700 mil contas para avaliar como afetavam o humor dos usuários.

“Isto fazia parte de uma pesquisa para testar diferentes produtos e existiram falhas na comunicação”, admitiu a chefe operacional e número 2 da rede social, Sheryl Sandberg, em um encontro com anunciantes em Nova Délhi (Índia), segundo o “Wall Street Journal”.

“Por essa comunicação nos desculpamos. Jamais quisemos irritá-los”, disse a chefe de operações de Facebook no mesmo dia em que as autoridades de proteção de dados do Reino Unido disseram estar investigando o experimento realizado com as contas de usuários da rede social.

Para responder à pergunta “Como os conteúdos do Facebook influenciam as emoções dos usuários?”, um grupo de pesquisadores modificou durante uma semana, de janeiro de 2012 o tipo de conteúdo mostrado a 689.003 pessoas na rede social.

Através de um algoritmo, os cientistas omitiram para alguns usuários publicações com conotações positivas, e para outros as negativas.

Esse teste foi divulgado publicamente pela primeira vez em março na revista científica “Proceedings of the National Academy of Science” e levantou várias críticas nas redes sociais, que acusaram a companhia de utilizar seus usuários como cobaias de laboratório.

Os resultados do estudo comprovaram que o tipo de sentimento mostrado no feed dos usuários exerce um efeito contagioso, já que quem só via mensagens positivas tendia a postar conteúdo no mesmo tom, e quem só via mensagens de cunho negativo escrevia publicações semelhantes.