Exclusivo: Steve Wozniak diz que ainda é cedo para avaliar o trabalho de Tim Cook

INFO entrevistou Woz sobre o futuro da Apple, confira

Em 1976, dois “Steves” criaram a empresa que iria se tornar a marca mais valiosa do mundo: a Apple Computers. O mais famoso dos “Steves” é Jobs, que foi CEO, somando suas duas passagens pela companhia, 23 anos. Foi Jobs, morto em 2011, que anunciou a trinca dos produtos revolucionários: iPod, iPhone e iPad. O outro “Steve” nunca gostou de palcos ou grandes apresentações. Wozniak sempre foi o homem do hardware. Basta dizer que é dele a patente de uso de um microcomputador acompanhado de uma tela, o que lhe rendeu um lugar no Hall da Fama dos Inventores, em 2000. Woz, como é mais conhecido, deixou a empresa em 1985, mas ainda é acionista envolvido com a Apple e entusiasta de seus produtos. Embora, costumeiramente, tenha opiniões polêmicas sobre a empresa. Woz já defendeu uma parceria com o Google e um iPhone possível com Android.

Surpreendentemente, Steve Wozniak não é uma pessoa inacessível, como muitos acreditam que seria uma das personalidades mais importantes do mercado de tecnologia mundial. Seu e-mail está disponível na internet facilmente, mas Woz não é muito afeito a conversas com a imprensa. Usamos uma estratégia de guerrilha para falar com ele: cada jornalista do site da INFO enviou um e-mail perguntando algo. Ele respondeu quase todas as questões, ainda que de forma curta e direta. Então, resolvi enviar um e-mail formal, perguntando sobre o futuro da companhia que ajudou a fundar, iPhone 6, tecnologias vestíveis e o desempenho de Tim Cook como CEO da Apple. Mandei a mensagem sem expectativas. Recebi as respostas em menos de duas horas.

Woz acredita em um futuro iPhone com tela maior e mais resistente, com tecnologia Sapphire. Ele elogiou o Touch ID do iPhone 5s e não vê nada que impeça o lançamento de um iPhone com o sistema móvel do Google. Entretanto, ele não quis comentar sobre o mercado brasileiro, nem arriscou palpites sobre o futuro das senhas.

Leia abaixo a entrevista de INFO com Steve Wozniak:

Na semana passada, sua declaração sobre iPhones com Android gerou polêmica no segmento de tecnologia. Por que você acredita que seria bom para a Apple investir em um smartphone com o sistema do Google?
Há muita diferença entre “poderia” e “deveria” (assim como acontece com a BlackBerry em relação ao mercado Android). É uma ideia chocante que merece alguma atenção. Talvez seja uma boa ideia, talvez não seja… É algo que demandaria muita consideração e conhecimento interno para chegar à decisão correta… não é algo que deveria ser descartado logo de cara. A Apple deveria considerar a possibilidade. Apenas o time de executivos da Apple pode definir se isso é bom ou ruim. Quanto esses aparelhos realmente competiriam com os verdadeiros Apple, os iPhones? O que a Apple traria ao mundo Android? É difícil dizer. Mas nada impede que isso aconteça.

Os últimos lançamentos da Apple não foram muito inovadores. Você acredita que Tim Cook está fazendo um bom trabalho como CEO da Apple?
Ainda é muito cedo para dizer. Ele parece estar indo bem até agora. Não consigo apontar um passo em falso.

Quais são as suas expectativas em relação ao iPhone 6?
Não tenho expectativas. Melhor? Com display Sapphire? Uma versão com tela maior, talvez?

Você acredita que relógios inteligentes e tecnologias vestíveis em geral podem se tornar um mercado lucrativo nos próximos dez anos para empresas como a Apple? Por quê?
Possivelmente. Mais ou menos. Eu diria que sim, mas eu não sei em qual escala ou se ela será considerada uma verdadeira categoria de sucesso, mas ela pode ser lucrativa.

O que você acha dos rumores de que a Samsung estaria criando uma tecnologia semelhante à do Touch ID para o Galaxy S5? A Apple estaria estabelecendo um padrão de mercado?
Não tenho muita certeza em relação a todo o desenvolvimento do Touch ID. A Apple criou um método de desbloqueio muito bom que não é facilmente enganado por fotos [como acontece no desbloqueio facial]. Não faço ideia do que a Samsung esteja preparando.

Você acredita que o avanço dos sensores biométricos, como o Touch ID, levarão ao fim das senhas?
Não faço ideia.