Empresa transforma hologramas de Star Wars em realidade

Aparelho da Voxon é capaz de fazer projeções de luz em três dimensões

São Paulo – Hologramas já são realidade desde a década de 1960, quando o físico norte-americano Theodore H. Maiman fez seus primeiros experimentos com laser. Entretanto, imagens em três dimensões, como as mensagens gravadas pela Princesa Leia a Obi-Wan Kenobi em Star Wars, pareciam restritas ao universo da ficção científica. Até agora.

A desenvolvedora americana de hardware Voxon apresentou na última quinta-feira (7), durante seu painel na convenção de tecnologia TechCrunch Disrupt, em Nova York, a VoxieBox. Trata-se de uma espécie de impressora 3D que, em vez de produzir objetos a partir de plástico ou outros materiais sólidos, reproduz imagens digitais.

A VoxieBox “imprime luz” em três dimensões milhares de vezes por segundo, enganando o olho humano com a ilusão de que ele está diante de um holograma em 3D.

A máquina não exige nenhum tipo de óculos especial para que os usuários possam enxergar os hologramas, que podem estar parados ou em movimento.

É possível também mover os objetos e observá-los por diferentes ângulos. A Voxon afirma que está oferecendo a nova tecnologia para estúdios de cinema em Hollywood, escolas, galerias de arte e até empresas de tecnologia aeroespacial, como a SpaceX.

Alan Jackson, fundador da empresa, trabalha nessa técnica desde que começou a Voxon “na garagem da casa” dele. O engenheiro iniciou seus experimentos com hologramas ainda na década de 1980, usando chaves de fenda e serras para desenvolver diferentes peças de hardware.

A partir de 2012, ele passou a desenvolver o projeto utilizando impressoras 3D, um Kinect — sensor de movimentos da Microsoft para o Xbox — e até voltando ao método original, com lasers.

A Voxon não revela quando a máquina deve chegar ao mercado, se é que isso acontecerá algum dia.

Veja o vídeo: