E-book já representa maior receita para editoras americanas

Em 2013, e-books geraram 7,54 bilhões de dólares de lucro para as editoras, superando os 7,12 bilhões obtidos com a venda de livros físicos

Já parece muito claro que o hábito de ler notícias na web é uma tendência praticamente irreversível. Entretanto, quando o assunto é um conteúdo mais denso, como um livro por exemplo, pelo menos para muita gente, a experiência da leitura pode não ser tão agradável quanto aquela dos livros físicos.

Mesmo assim, diversas características jogam a favor do livro digital, incluindo o fato de ser algo “ecologicamente correto”, sem contar o custo para as editoras e o preço para o consumidor final. Nos Estados Unidos essa onda já está mais avançada que por aqui.

Nesta semana, um estudo da BookStats, publicado no The Verge, mostrou que a venda de e-books já é mais rentável para as editoras americanas que a comercialização através de lojas físicas.

Em 2013, de acordo com os números, os e-books geraram 7,54 bilhões de dólares de lucro para as editoras, superando os 7,12 bilhões obtidos com a venda de livros físicos.

As perguntas que restam são as seguintes: a tecnologia vai conseguir modificar também o tradicional hábito de cultuar momentos prazerosos dentro de uma livraria? Ou vai apenas transformar totalmente a experiência de consumo e leitura? Aguardemos para saber.