Coreia do Sul solicita que Facebook revise sua política de privacidade

Governo da Coreia do Sul quer detalhes de como são usados os dados pessoais de seus mais de dois milhões de usuários

Seul – O regulador de comunicações sul-coreano solicitou nesta quarta-feira que a rede social Facebook revise sua política de privacidade e ofereça detalhes de como são usados os dados pessoais de seus mais de dois milhões de usuários na Coreia do Sul.

A Comissão de Comunicações da Coreia do Sul (KCC) deu 30 dias à companhia californiana, a maior rede social da internet, com mais de 500 milhões de usuários, para que explique o uso dos dados pessoais em inserções de publicidades que têm o objetivo de alcançar determinados seguidores com base em seu perfil.

Segundo indicou a KCC em comunicado, o Facebook não cumpre os requisitos das leis locais de comunicações e internet para garantir o cumprimento dos acordos adotados com os usuários em política de privacidade.

“O Facebook se comunica de maneira inadequada sobre a recopilação de informação privada”, disse a KCC.

Segundo denunciam organizações como o Repórteres sem Fronteiras, o Governo sul-coreano exerce um grande controle sobre a internet, especialmente nos portais e redes sociais locais, e em muitas ocasiões é preciso fornecer o número de identificação pessoal para entrar nos sistemas.

Companhias como o Google e seu site de vídeos online YouTube foram pressionadas para que adaptem sistemas de identificação dos usuários, algo que a gigante da tecnologia se opôs a fazer e que gerou a queixa de algumas empresas locais por tratamento desigual.