Modo “stand by” gerou US$ 80 bilhões de gastos com energia em 2013

Nada menos que US$ 80 bilhões foram perdidos com a energia gerada por aparelhos em stand by, somente em 2013.

Nada mais corriqueiro, nos dias atuais, do que manter o computador conectado à internet em modo de espera enquanto saímos para almoçar, tomar um café ou ir ao banco. Conheço até quem deixe seu notebook ligado e conectado durante a noite toda para usá-lo novamente apenas no dia seguinte. Agora, um estudo da Agência Internacional de Energia (AIE) revela que estamos fazendo a coisa errada.

O tamanho do gasto de energia elétrica com essa prática aparentemente inócua não é pequeno, somados os milhões de pessoas que fazem o mesmo em todo o planeta diariamente: nada menos que US$ 80 bilhões foram perdidos com essa energia desperdiçada, somente em 2013.

O relatório da AIE chamado More Data, Less Energy: Making Network Standby More Efficient in Billions of Connected Devices (ou Mais Dados, Menos Energia: Fazendo o network standby mais eficiente em bilhões de aparelhos conectados) concluiu que consumimos mais de 615 terawatts/hora (TWh) no ano passado com mais de 14 milhões de aparelhos ligados e conectados à internet: computadores de mesa, notebooks, tablets, smartphones e modens. Até mesmo com os novos modelos de TVs, geladeiras e máquinas de lavar que, nos países desenvolvidos, já são vendidos com conexão à rede.

Desse total, nada menos que 400 TWh foram jogados fora com o nosso mau hábito de não desligar nossos equipamentos. Essa quantidade é maior do que o consumo de energia elétrica, em 2013, na Noruega e no Reino Unido.

A explicação para esse consumo é que os aparelhos, mesmo em modo de espera ou de hibernação, continuam conectados e gastando energia. Basta observar como a bateria do seu celular é gasta rapidamente mesmo quando se fica horas sem mexer nele.

A consequência desse desperdício, segundo o estudo da Agência Internacional de Energia, é que vamos precisar da geração de mais energia para atender a demanda de todo esse consumo. As projeções, de acordo com o relatório da AIE, são de que em 2050 serão 500 bilhões de aparelhos conectados. Imagine qual será o consumo se o desperdício de energia continuar nessa mesma progressão?

“A proliferação de aparelhos conectados à Internet traz benefícios para o mundo, mas seus custos em energia estão bem acima do que deveriam”, afirmou Maria van der Hoeven, diretora da AIE. De acordo com ela, nós consumidores também estamos perdendo dinheiro com esse gasto. “Isto, consequentemente, leva a maiores custos na geração e distribuição de energia”.

A agência acredita que o desafio para os próximos anos será melhorar a eficiência energética das tecnologias on line. Essa melhoria já foi conseguida com a tecnologia de stand by de equipamentos eletrônicos desconectados da internet. Depois de quase 30 anos de pesquisas e investimentos, a indústria de conseguiu reduzir bastante o consumo desses aparelhos quando estão no modo de espera.

A AIE considera que, assim, seria possível economizar perto de 600 TWh até 2020. Mais: com essa redução no consumo seria possível deixar de lado 200 usinas a carvão de 500 MW. Assim, cairia também a emissão de gases causadores do efeito estufa e das mudanças climáticas no planeta.

Vamos pensar nisso antes de deixar nossos equipamentos plugados,