Congresso americano quer medidas contra ciberespionagem chinesa

Uma comissão especial formada pelo Congresso americano recomendou a adoção de medidas mais duras contra a espionagem eletrônica chinesa

Uma comissão especial formada pelo Congresso americano recomendou nesta quarta-feira (20) a adoção de medidas mais duras contra a espionagem eletrônica chinesa, incluindo a possibilidade de se aplicar sanções.

Em seu relatório anual ao Congresso, a “US-China Economic and Security Review Commission” acusa Pequim de “dirigir uma campanha de espionagem cibernética em larga escala” que afeta o governo americano e as empresas privadas.

O documento detalha uma lista de propostas destinadas a “mudar a relação custo-benefício” para a China, evocando a possibilidade de proibir a importação de alguns bens que incluam tecnologia roubada de empresas americanas.

O documento é publicado meses depois das explosivas revelações feitas pelo ex-analista de inteligência da Agência de Segurança Nacional americana (NSA, na sigla em inglês), Edward Snowden, sobre as atividades de espionagem e de monitoramento das telecomunicações, por parte de Washington, nos Estados Unidos e no mundo.

A China já mencionou o “caso Snowden” para acusar o presidente Barack Obama de aplicar dois pesos e duas medidas e lembrou que Pequim também é alvo de espionagem eletrônica.