Computador japonês fabricado em 1944 volta a resolver equações

O aparelho mecânico é um dos dois únicos analisadores diferenciais que ainda existem no mundo

Um computador analógico japonês fabricado em 1944, uma das máquinas pioneiras da computação moderna, foi restaurado e reativado em uma universidade de Tóquio, voltando a resolver equações depois de sete décadas.

O aparelho mecânico é um dos dois únicos analisadores diferenciais que ainda existem no mundo. O outro se encontra na Universidade de Manchester, no Reino Unido.

Pesquisadores da Universidade Científica de Tóquio e vários colaboradores conseguiram restaurar o aparelho que, depois de um ano e meio de trabalho, voltou a funcionar, informou nesta quarta-feira (3) o jornal Asahi.

A equipe teve que limpar todo o dispositivo, que tem aproximadamente o tamanho de uma mesa de pingue-pongue, e instalar componentes que tinham sido perdidos.

Através de um emaranhado de engrenagens, varas metálicas e discos movidos por motores, o equipamento resolvia equações diferenciais e traçava os gráficos resultantes em papel.

Os pesquisadores tiveram que utilizar cordas de koto – um instrumento musical japonês parecido com a harpa – para fazer com que os discos girassem novamente, pois se acredita que este foi o material utilizado originalmente pela Universidade Imperial de Osaka para sua construção.

Com isso, o aparelho voltou a realizar operações nesta semana durante cerca de 15 minutos, mas a equipe encarregada de sua restauração contou ao Asahi que os resultados variam em função das condições de temperatura e umidade, pois a máquina é extremamente sensível a elas.

Após um período de testes, a Universidade Científica de Tóquio fará demonstrações públicas do funcionamento da máquina duas vezes por semana a partir do ano que vem.