Compra de Nest pela Google esquenta corrida por dispositivos

A operação pode dar o impulso inicial a uma corrida para adquirir empresas que estão alimentando o auge de dispositivos conectados à Internet em lares

Portland – A aquisição de uma fabricante de termostatos digitais pela Google por US$ 3,2 bilhões poderia dar o impulso inicial a uma corrida multibilionária para adquirir as companhias que estão alimentando o auge dos dispositivos conectados à Internet em lares, cidades e espaços de trabalho.

Depois que a Google concordou em comprar a Nest Labs Inc., neste mês, concorrentes como a Microsoft Corp. também poderiam estar procurando se apressar em obter companhias com a tecnologia e as patentes para dispositivos inteligentes, disse a Recon Analytics LLC.

Estima-se que o mercado para a chamada “Internet das Coisas” – que vai de eletrodomésticos com conexão à Internet até equipamentos industriais com ligações centralizadas – gere US$ 8,9 trilhões em receita até 2020, frente a US$ 4,8 trilhões em 2012, segundo a empresa de pesquisa IDC.

A aposta da Google na Nest poderia destacar o atrativo para a aquisição de companhias como a Control4 Corp., que integra operações de iluminação, vídeo e segurança para casas, disse a Wedbush Inc.

A Silver Spring Networks Inc., fabricante de tecnologia que ajuda empresas de serviços públicos e cidades a criarem redes de sensores inteligentes, e a Echelon Corp., que fabrica chips que permitem controlar dispositivos remotamente, também poderiam ser almejadas, disse o Canaccord Genuity Group Inc.

As ações da Echelon e da Control4 subiram mais de 35 por cento no dia em que foi anunciada a transação da Nest.

“A compra da Nest pela Google em certa forma inflama o setor”, disse Mark McKechnie, analista da Evercore Partners Inc. sediado em San Francisco, em entrevista por telefone.


“Todos falam sobre a Internet das Coisas como o próximo grande acontecimento. É quase como colocar smartphones em casas, carros, pessoas”.

Mercado novo

“Este mercado é bastante novo”, disse John Quealy, analista do Canaccord sediado em Boston, em entrevista por telefone. “Não observamos nenhuma cotação padrão ainda”.

Companhias como a Cisco Systems Inc., a AT&T Inc., a ARM Holdings Plc, a General Electric Co. e a Intel Corp. visam ganhar dinheiro fornecendo software, hardware, componentes ou conectividade a uma variedade de dispositivos sem fio conectados à Internet: de detectores de fumaça até equipamento industrial e relógios de pulso para soldados.

A Control4, cujo valor de mercado se elevou até US$ 567 milhões desde sua abertura de capital em agosto, oferece a capacidade de controlar muitos dispositivos inteligentes – de termostatos até reguladores de luz – em casas e em empresas.

Ao passo que a Echelon e a Silver Spring ainda perdem dinheiro, projeta-se que a Control4 informe seu primeiro lucro para um ano completo, o de 2013, com US$ 129 milhões de receita, segundo estimativas de analistas compiladas pela Bloomberg.


A Silver Spring, que realizou sua abertura em março, fabrica equipamento de redes para redes elétricas inteligentes e está se expandindo para a iluminação pública, ajudando os operadores a melhorarem sua eficiência energética e a prolongarem sua duração.

Postes de luz

A expansão para a iluminação pública “é muito prometedora” e poderia ajudar a companhia de US$ 747 milhões a se converter em alvo para aquisições, disse Quealy, do Canaccord.

As ações da Silver Spring recuaram 33 por cento desde que a companhia disse há duas semanas que a receita do quarto trimestre poderia ficar abaixo das expectativas dos analistas. Agora, projeta-se que as vendas em 2013 sejam de cerca de US$ 340 milhões, segundo estimativas de analistas compiladas pela Bloomberg.

Como o advento da Internet das Coisas é recente, ela é composta em sua maioria por startups de capital fechado como a Physical Graph Corp. e a Dropcam Inc. Embora a Control4 e a Silver Spring tenham realizado aberturas nos últimos doze meses, outras companhias de capital aberto se reinventaram para capitalizar o impulso do mercado.

“À medida que as taxas de adoção crescem, o potencial do mercado vai ficando mais claro, o que poderia levar a uma maior consolidação”, disse Steve Frankel, analista da Dougherty Co.

“Hoje, estamos no começo do primeiro tempo. Eu penso que todas as grandes marcas de produtos eletrônicos de consumo encontrarão uma forma de oferecerem essas capacidades. Todos estão tentando colocar os pés na água”.