Como funciona o chip que libera internet em mais de 140 países

O produto Flexiroam X desembarcou no país com um SIM card que promete conexão lá fora pelo preço sugerido de R$ 99

Flexiroam X Chip

 (Flexiroam X/Divulgação)

A primeira rede 3G foi apresentada em 1998 e trouxe algo irremediável: a dependência do homem pela internet. De lá pra cá, nos acostumamos a ter o smartphone na mão e o acesso a apps e rede in real time

Por isso, toda vez que nós saímos do país, a decisão de como vamos nos comunicar vira um transtorno, seja pela troca de chips seja pelo preço cobrado pelas operadoras no exterior.

Uma marca decidiu atacar esse filão de pessoas descontentes com essa operação. O Flexiroam X desembarcou no Brasil com um SIM card (nano e micro) que promete conexão lá fora (140 países) pelo preço sugerido de R$ 99.

O cliente compra um microchip adesivo que deve ser colado no cartão que já está no celular.

O melhor: o controle do uso e as recargas adicionais são feitos por um app.

Onde comprar

Ele está à venda no quiosque da marca no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e também no site oficial, com entrega em casa.

 

Como funciona

Depois de adesivar o chip, o usuário não precisa mais retirá-lo — nem mesmo no Brasil. Como assim?

Tudo é administrado pelo aplicativo. Ou seja, ao chegar em um novo país, basta ativá-lo para usar a internet 4G e fazer telefonemas (fixo e cel).

 

Planos disponíveis

O pacote básico tem 100 MB (custa R$ 99)  e as recargas vão de 100 MB a 11 GB.

Como falamos, é possível comprar mais dados pelo app. Vale ficar de olho em ofertas específicas para certas regiões, como EUA, América do Sul e Europa. Há planos adicionais que vão de R$ 22 a R$ 1.200.

 

E no Brasil?