Comissão Baleeira autoriza cotas de caça à Groenlândia

Com 46 votos contra 11 e três abstenções, os países membros concederam uma cota anual de mais de 200 baleias à Groenlândia

A Comissão Baleeira Internacional (CBI) autorizou nesta segunda-feira (15) a caça de mais de 200 baleias por ano para os habitantes da Groenlândia, em nome da subsistência dos povos aborígenes, informaram várias ONGs, que criticaram esta decisão.

Os 88 países da CBI iniciaram nesta segunda-feira, em Portoroz (Eslovênia), sua 65ª sessão para debater as derrogações da moratória de caça às baleias pedidas pelo Japão e Groenlândia, e a criação de santuários no Atlântico Sul.

Com 46 votos contra 11 e três abstenções, os países membros concederam uma cota anual de mais de 200 baleias à Groenlândia. “Tememos que esta nova cota conceda à Groenlândia mais carne de baleia do que necessita seu povo autóctone para sua subsistência e que sobra seja vendido comercialmente, inclusive para turistas”, lamentou o Animal Welfare Institute (AWI).

A Groenlândia afirmou necessitar de 800 toneladas de carne de baleia anuais para a subsistência da população autóctone, mas estudos acadêmicos mostram que os inuit consumem cerca de 500 toneladas por ano, segundo a ONG.

Desde que em 1986 foi aprovada uma moratória sobre a captura de baleias, as populações desses cetáceos aumentaram globalmente. Apesar disso, algumas espécies continuam ameaçadas, como a baleia cinza do Pacífico noroeste e a baleia azul, o maior animal do planeta.