Com realidade virtual, Facebook avança rumo ao e-commerce

Rede social já tem bilhões de usuários, moeda digital e agora aposta em representação de mundo virtual

São Paulo – Cinco anos depois de o Facebook ter comprado a startup Oculus VR por 3 bilhões de dólares, a rede social divulgou um trailer que mostra como imagina o ambiente em realidade virtual, visto apenas com óculos especiais. A proposta, chamada Horizon, é parecida com a vista no filme Jogador Nº 1, de 2018. As pessoas são representadas por avatares no espaço digital e podem interagir entre si e adentrar construções virtuais, como acontece no jogo Minecraft, da Microsoft.

Da perspectiva do negócio, a iniciativa do Facebook visa a evolução da sua plataforma de redes sociais e, como consequência, da sua ferramenta de monetização, que consiste em anúncios e vendas de produtos e serviços.

O Facebook Horizon, aliado à moeda digital Libra e às técnicas de exibição e engajamento com conteúdos já oferecidos hoje pelo Instagram (que pertence ao Facebook), viabiliza que a rede social mude a forma como o e-commerce é atualmente.

Yuval Ben-Itzhak, presidente global da consultoria de redes sociais SocialBakers, afirma que o Facebook poderá dominar todo o funil de vendas online que hoje acontece junto a seus parceiros anunciantes e intermediários de pagamentos online.

“Na realidade virtual, vemos uma grande oportunidade para empresas em áreas como valorização de marca e descoberta de novos produtos. É animador ver o Facebook levando a realidade virtual para o mercado com o Horizon. Apesar de a tecnologia ainda estar em seus primeiros dias, ela tem o potencial de oferecer às marcas uma nova e empolgante forma de levar consumidores em uma jornada de contato com produtos, usando técnicas de inserção de produtos, e de interatividade no mundo virtual, que culmina finalização da compra”, diz Ben-Itzhak, a EXAME.

Mark Zuckerberg, presidente e cofundador do Facebook, já disse acreditar que o futuro das redes sociais está na realidade virtual, sendo esse um dos motivos de sua empresa ter comprado a Oculus VR, criadora de óculos de realidade virtual Rift, que são voltados para consumidores. Eles ainda não são vendidos no mercado brasileiros e não há previsão de quando isso acontecerá. No entanto, o setor tem previsão global de crescimento, tanto em termos de hardware quanto de software.

A consultoria SuperData, parte da Nielsen, estima que o mercado terá faturamento global de 6,2 bilhões de dólares em 2019 e esse número passará para 16,3 bilhões de dólares em 2023 – considerando apenas os setores de hardware e software voltados para o consumidor, áreas de interesse para o Facebook. Além disso, 171 milhões de pessoas possuíam óculos de realidade virtual no mundo já em 2018, segundo a consultoria KZero.

O Facebook não comenta planos futuros e novas informações sobre o Horizon devem aparecer até o começo do ano que vem, que é quando a empresa americana prevê o início dos testes da sua plataforma de realidade virtual. O lançamento para o público deve ficar também para 2020, mas ainda não há uma data para a chegada ao mercado global.

Veja o vídeo de divulgação do Facebook Horizon a seguir.