Com problemas, novo Apple Watch abre espaço para rivais

Relógio inteligente permanece compatível apenas com iPhones e tem problemas em sua principal novidade

São Paulo – As primeiras análises do novo Apple Watch Series 3 começaram a sair na imprensa internacional e as notícias não são boas para a empresa. Sites de renome no setor de tecnologia, como The Verge, Cnet e Wired, encontraram problemas com a principal novidade do relógio: a conectividade 4G.

O uso da rede 4G no relógio faz com que a bateria dure menos do que nas versões anteriores. Nos testes de EXAME.com, constatamos que o Apple Watch Series 2 pode funcionar por um dia e meio com uma única carga–se ele for desligado durante a noite. No Series 3, os reviews indicam a necessidade de carregar o produto toda noite, dependendo do seu tipo de uso.

Além disso, o The Verge encontrou um problema de conectividade no relógio. A equipe do site levou o Series 3 para testes no mar, durante a prática de surfe–uma situação adversa. Lá, houve dificuldade para conseguir realizar ligações. As demais análises, porém, não reportam situações semelhantes.

A Apple se pronunciou sobre o caso dizendo que trabalha para resolver os problemas de conectividade do produto, que, segundo ela, são ocasionados por conexões aleatórias com redes Wi-Fi fracas que prejudicam a conexão 4G.

A versão do Apple Watch Series 3 custa 399 dólares, enquanto a edição sem o recurso sai por 329 dólares.

Diante desse cenário, outras opções de relógios compatíveis para iPhones podem ganhar maior relevância para os consumidores, ainda que o Apple Watch seja o relógio inteligente mais vendido. Um exemplo é o Gear Fit2 Pro, da Samsung, que é compatível com Androids e iPhones e pode monitorar sua atividade durante a natação–apesar de não ter suporte à rede 4G.