5 tecnologias que salvam vidas no HCor

A rapidez e a precisão no tratamento médico podem fazer toda a diferença para o paciente, e a tecnologia da informação tem exercido papel fundamental.

A rapidez e a precisão no tratamento médico podem fazer toda a diferença para o paciente, e a tecnologia da informação tem exercido papel fundamental. Para atender aproximadamente 11 000 pacientes internados e 170 000 consultas ambulatoriais por ano, o Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, montou uma infraestrutura de TI com equipamentos e compartilhamento inteligente de dados e sistemas de rastreamento que aumentou o fluxo de informações técnicas e operacionais e eliminou processos burocráticos, garantindo mais eficiência.

“O médico pode ver o resultado de um exame em minutos e discutir esse resultado com seus colegas em outros locais”, diz o médico Luiz Carlos Valente de Andrade, diretor técnico do HCor.

Veja abaixo algumas das tecnologias usadas pelo HCor:

1. Compartilhamento inteligente: a integração das informações armazenadas nos bancos de dados e os sistemas de gestão deram mais eficiência ao HCor. Os novos sistemas viabilizaram o uso conjunto dos servidores, o que aumentou o monitoramento e o gerenciamento da capacidade de uso dos equipamentos. Isso também possibilitou elevar a economia de uso e reduzir o tempo gasto na solução de problemas

2. Equipamentos integrados: o uso de dispositivos interconectados facilitou a comunicação de dados e eliminou o excesso de fios e cabos de conexão, dando mais funcionalidade ao ambiente. Nos centros cirúrgicos do HCor, estações de trabalho com monitores touchscreen permitem aos cirurgiões acessar a informação em tempo real sobre agendamento, resultados laboratoriais e imagens de exames de diagnóstico. De acordo com o HCor, a plataforma tecnológica ajuda o médico na tomada de decisões dentro das salas cirúrgicas e dá mais segurança ao paciente operado

3. Alta capacidade de arquivamento digital: para atender a um volume aproximado de 278 000 exames de diagnóstico e 1,7 milhão de exames laboratoriais por ano, o HCor montou um datacenter que suporta o consumo de 1,5 terabyte por mês – ou 18 terabytes por ano. Como 1 terabyte representa 1 024 gigabytes, é como se o HCor tivesse que separar três notebooks com capacidade padrão de 500 gigabytes cada, para armazenar toda a produção de imagens e laudos

4. Gestão de imagens digitais: o HCor também investiu em tecnologia de imagens médicas. O Pacs – sigla em inglês para Sistema de Comunicação e Arquivo de Imagens Digitais – é um sistema integrado de software, computadores, periféricos e aplicativos com grande poder de processamento que gerencia o armazenamento econômico e acesso a imagens de várias modalidades, como medicina nuclear, ultrassom e tomografia

5. Rastreabilidade: a TI também tem desempenhado papel importante na distribuição de medicamentos entre as unidades do HCor. A medicação solicitada pode ser registrada em dispositivos móveis como PDAs e tablets, chegando rapidamente ao local. O controle de estoque também ficou mais eficiente, devido às atualizações em tempo real