Cinco road trips de sonho – e os carros ideais para realizá-las

Que tal aproveitar a viagem de férias no exterior para saber se aquele carro que você sonha ver na garagem entrega o que promete?

Grand Canyon from the Yavapai Point

 (Wolfgang Kaehler/Getty Images)

Nem todo motorista tem vocação para ser piloto. Esse negócio de pisar fundo no acelerador, frear no limite, fazer curvas milimetricamente tangenciadas e olhar o retrovisor com cara de mau é para poucos – e, de preferência, além de audazes, que sejam capazes.

Mas exigir um tanto mais do motor, ver o ponteiro do velocímetro contornar a circunferência do display sem se sentir infringindo a legislação, perceber a paisagem passar um pouco mais depressa são prazeres legítimos, que fazem parte da brincadeira.

Pena que só possam ser desfrutados em circuitos fechados – ou então em estradas de países mais, digamos, compreensivos com a vocação do automóvel e, claro, confiantes na responsabilidade de quem está ao volante.

Aproveitando alguns lançamentos de carros no Brasil que ainda estão com cheirinho de pão quente, a VIP pensou em trajetos internacionais para quem quer conciliar uma viagem de férias ou uma esticada depois de um compromisso de trabalho com um test-drive envolto em charme.

Como em toda viagem, o que vale aqui não é chegar ao destino, e sim a diversão durante o percurso. As esticadas, freadas, retomadas… Embarque nessa!

Estados Unidos – na mítica Route 66, esmerilhando um muscle car

Road trips

Se, por um lado, o tempo pode tornar a Route 66 (Rota 66) uma via obsoleta, por outro o passar dos anos só depura seu simbolismo como um ícone das estradas. Inaugurada em 1926, esta via viveu seu apogeu nos anos 50 e 60, embalada pelos movimentos contraculturais que incentivavam a juventude a colocar o pé na estrada.

E olha que o que não falta ali é pista para percorrer. São quase 4 mil quilômetros de extensão que ligam Chicago (Illinois) a Santa Monica (Califórnia), passando por oito estados.

No caminho, o que há de mais impressionante nos cartões-postais dos Estados Unidos, tanto em termos de natureza, como o Grand Canyon, em Laughin, Nevada, quanto em cenários urbanos, como Saint Louis, Missouri, a cidade da música ao vivo.

A pedida é pilotar a série limitada Fifty, do Chevrolet Camaro, criada para homenagear os 50 anos desse esportivo, que, ao lado do Ford Mustang e do Dodge Challenger, tornou midiático o termo muscle cars – carrões invocados, bons de desempenho (principalmente arrancadas) e preços mais acessíveis.

Chevrolet Camaro Fifty

Chevrolet Camaro Fifty Chevrolet Camaro Fifty

Chevrolet Camaro Fifty (reprodução/Divulgação)

Motor: V8 6.2
Potência: 461 cv
De 0 a 100 km/h: 4,2 s
Velocidade máxima: 290 km/h


França – contemplando a altitude de Col de Turini

Road trips

 (arte/VIP)

Nem só de retas e contornos suaves se faz uma viagem que preza pela aventura. Que o diga a cultuada Col de Turini, nos Alpes-Maritimes, passagem montanhosa nos Alpes do sul da França, a cerca de 1.600 metros de altitude.

É um circuito indubitavelmente técnico – dependendo da velocidade em que se está, é até perigoso. Não por acaso, um trecho de 20 quilômetros faz parte do Rally de Monte Carlo, combinando curvas em forma de cotovelo com partes em que os carros (de competição, claro) podem chegar a 200 km/h. Estar ali durante uma dessas etapas do campeonato pode ser uma experiência marcante.

Col de Braus in the French Alps

 (Martyn Goodard/Getty Images)

Bem, como uma dose de prudência é muito sensato, o ideal aqui é rodar em um carro que, ao mesmo tempo que atenda às necessidades da estrada, convide os ocupantes a contemplar a paisagem do lado de fora de maneira mais calma.

A sugestão, nessa linha, é o X1 xDrive25i Sport, SUV da BMW que, embora dotado de um motor capaz, está mais preocupado com o conforto e a segurança dos ocupantes. Não é pouca coisa, considerando que o trajeto, de cair o queixo, é desafiador.

BMW X1 XDrive Sport

BMW X1

 (reprodução/Divulgação)

Motor: 2.0 turbo
Potência: 231 cv
De 0 a 100 km/h: 6,5 s
Velocidade máxima: 235 km/h


Alemanha – para harmonizar Autobahn com Romantische Strasse, uma perua versátil

Road trips

 (arte/VIP)

Pensou em acelerar na Europa, a primeira imagem que vem à cabeça é da Autobahn, o sistema alemão de rodovias em que não há limite de velocidade.

Embora essa permissividade seja propagada pelos quatro cantos do mundo, é preciso pontuar que ninguém pode ir fazendo o que der na cabeça só porque está em um carrão. Existem regras a serem seguidas, não é em todas as regiões que se pode brincar de piloto e, caso se coloque em risco a segurança do entorno, as penas podem ser duras.

Dito isso, dirigir nessas estradas é uma sensação de liberdade memorável. Uma sugestão para intercalar uma tocada mais rápida com uma mais branda pode ser conhecer a Romantische Strasse (Rota Romântica), com seus quase 400 quilômetros ligando as cidades de Füssen e Würzburg.

Old Town, Dinkelsbuehl, Middle Franconia, Bavaria, Germany

 (Thomas Stankiewicz/Getty Images)

O centro histórico de Dinkelsbühl é tido como um dos mais belos da Alemanha. O caminho, ao lado de rios e montanhas, percorre dezenas de cidades, algumas medievais, repletas de castelos e arquitetura típica.

Dado o perfil do passeio, o Audi A4 Avant pode ser uma opção harmoniosa. Ao mesmo tempo que dispõe de um motor potente para tocar o coração do motorista-piloto, a perua sabe se comportar em ambientes mais recatados e familiares.

Audi A4 Avant

Audi A4 Avant Audi A4 Avant

Audi A4 Avant (reprodução/Divulgação)

Motor: 2.0 turbo
Potência: 190 cv
De 0 a 100 km/h: 7,5 s
Velocidade máxima: 238 km/h


Itália – um conversível ao cair da tarde no Passo dello Stelvio

Road trips

 (arte/VIP)

Construído em 1820, o Passo dello Stelvio (Passagem de Stelvio) é presença certa em qualquer levantamento das estradas mais belas do mundo. Fica ao norte dos Alpes italianos, entre Stelvio e Bormio, na província de Sondrio, Lombardia, bem perto da fronteira com a Suíça.

Com algumas dezenas de quilômetros de extensão, seu trecho mais elevado está a quase 3 mil metros de altitude, desenhando-se em meio a um horizonte nada previsível para se admirar. Cenário perfeito tanto para quem deseja sentir a desenvoltura do carro quanto para quem quer mais é contemplar a paisagem.

Passo dello Stelvio

 (Studio Box/Getty Images)

Além do prazer da própria viagem até seu topo, no entorno fica o Parco Nazionale Dello Stevio, palco de atividades como caminhadas, mountain bike e esqui, dependendo da época do ano. A ocasião pede um carro sem capota, que possa permitir também sentir a brisa.

É nesse contexto que cabe muito bem uma volta com o Range Rover Evoque conversível, modelo que esbanja esportividade para quem o vê do lado de fora e também para quem o conduz. Se o sol esquentar ou o tempo mudar, basta acionar um botão para que a capota, de tecido, se recolha em 21 segundos, sem que o carro precise parar.

Se bem que, nesse ambiente, ninguém vai estar com pressa…

Range Rover Evoque conversível

Range Rover Evoque conversível

 (reprodução/Divulgação)

Motor: 2.0 turbo
Potência: 240 cv
De 0 a 100 km/h: 8,6 s
Velocidade máxima: 209 km/h


Havaí – de cupê esportivo, desafiando as curvas da Hana Highway

Aerial views of Wailua falls, Kauai

 (Ignacio Palacios/Getty Images)

Localizada no Havaí, essa estrada que margeia a costa do mar é para ser percorrida com muita calma, para poder ser bem apreciada, e com o máximo de atenção, porque ela é uma prova de resistência e habilidade para o motorista.

São cerca de 90 quilômetros de extensão, que levam entre duas e três horas para serem vencidos. Além de estreita, alguns trechos com pista simples, a via atravessa quase 60 pontes e, como se fosse pouco, serpenteia por mais de 600 curvas.

Todo esse esforço – ou exercício de pilotagem, chamemos – vale a pena. O lugar é de uma beleza natural, com florestas de bambu, árvores imponentes e verde em diferentes tons, que orgulha os nativos. Um ponto turístico é a Wailua Falls, das muitas cachoeiras ao longo do percurso.

Rodar em um Mustang nessas condições de temperatura e pressão é o tipo de mimo que o felizardo, devidamente acompanhado, vai levar como uma experiência marcante para o resto da vida. Até porque o modelo vai começar a ser vendido oficialmente no Brasil em 2018.

Está aí uma boa desculpa para pilotar esse selvagem em pleno Havaí – se é que se precisa de desculpa para ser feliz.