China nega suposta proibição de compras de itens da Apple

Produtos não estão banidos de listas de aquisições do governo chinês por preocupações sobre segurança, segundo o maior centro de aquisições do país

Pequim – Produtos da Apple como laptops e tablets não estão banidos de listas de aquisições do governo chinês, segundo o maior centro de aquisições do país, refutando uma notícia que alegava que a Apple estava em uma lista negra por preocupações relacionadas à segurança nacional.

Segundo uma notícia da Bloomberg News publicada na quarta-feira, 10 produtos da Apple, incluindo laptops MacBook e tablets iPad, foram retirados de uma lista do governo de hardware aprovado devido a preocupações com segurança. O Centro de Compras do Governo Central, assim como o Ministério das Finanças e a Apple disseram que, antes de mais nada, a companhia nunca sequer enviou pedido para ser incluída na lista.

A lista que criou a confusão nesta semana envolve produtos que economizam energia, e é apenas uma dentre várias listas de compras do governo na China. A Apple nunca esteve nessa lista, disse a companhia em comentários por email nesta sexta-feira, se recusando a dar mais detalhes.

A incerteza e a especulação em torno do status de fornecimento da Apple reflete a ansiedade elevada entre empresas estrangeiras de tecnologia na China, em meio ao que elas veem como uma campanha oficial em várias frentes para reprimir seus negócios.