Cérebro de Schumacher sofreu dano em acidente em 2009, diz médico

Até a grave queda ocorrida quando o piloto esquiava, acidente de moto havia sido o mais grave sofrido pelo alemão

O médico que atendeu Michael Schumacher no acidente de moto que o ex-piloto alemão sofreu em 2009 em Cartagena, na Espanha, afirma que o lado direito do cérebro do heptacampeão mundial de Fórmula 1 sofreu dano naquela ocasião e que suas sequelas afetam o conjunto da irrigação cerebral.

“A artéria esquerda se rompeu. E só há duas artérias, que se encarregam da irrigação do cerebelo”, disse o médico Johannes Peil, diretor da clínica esportiva de Bad Nauheim, em entrevista publicada neste sábado pelo jornal alemão “Bild”.

Peil, que visitou Schumacher no hospital em Grenoble, na França, onde ele está internado desde o último domingo, atendeu em fevereiro de 2009 o ex-piloto após o acidente sofrido em uma pista de provas onde praticava motociclismo.

Até a grave queda ocorrida enquanto Schumacher esquiava nos Alpes franceses, esse havia sido o acidente de consequências mais graves para o ex-piloto alemão.

O cerebelo dirige a motricidade, lembrou o jornal, sobretudo no que se refere à capacidade de reação. O médico considera, no entanto, que as sequelas da lesão de 2009 não afetam as possibilidades de recuperação de Schumacher após o acidente do último domingo.

Schumacher está em coma induzido e passou por cirurgias para a retirada de edemas cerebrais. A equipe médica que o atende em Grenoble anunciou que não divulgará novos boletins sobre o estado de saúde do ex-piloto enquanto não houver evoluções relevantes.