Celular Android agora é recurso de segurança contra roubo de dados

Smartphone com sistema do Google se comunica com o Chrome e evita captura de dados em páginas falsas

São Paulo – Seu celular com sistema Android funcionará como um recurso de segurança contra tentativas de roubo de dados pessoais. Quando você acessar uma página suspeita, você precisará autorizar no smartphone o compartilhamento de informações. Caso a página seja falsa, o Google bloqueará automaticamente o envio de informações para a página mal-intencionada. A funcionalidade é limitada ao navegador Chrome, que pertence ao Google, também dono do sistema Android.

A nova função é um desdobramento da autenticação em duas etapas, uma segunda confirmação de que o seu login é realizado com autenticidade. Funciona assim: quando está ativa, ela evita que uma pessoa acesse sua conta sem o código único gerado, automática e aleatoriamente, pelo sistema do Google e enviado ao seu celular Android. Em outras palavras, é um recurso de segurança que exige um fator físico, a posse do seu aparelho.

A comunicação entre o seu smartphone Android e o navegador Chrome para evitar o roubo de dados pessoais em páginas falsas acontece via Bluetooth, NFC ou cabo USB. Ou seja, torna-se indispensável que você tenha seu celular com você na hora de acessar a sua conta Google. Veja o funcionamento do recurso no gif animado abaixo.

imagem que mostra funcionamento do novo recurso do Google

 (Google/Divulgação)

Para a companhia americana, a novidade é importante porque protege contra ataques de hackers tanto pessoas físicas quanto empresas, ativistas e jornalistas.

A ativação da autenticação em duas etapas pode ser feita por meio da página de segurança do Google. Ao acessá-la, é preciso selecionar a opção “verificação em duas etapas”; clicar em “Adicionar uma chave de segurança” e, por fim, escolher qual é o seu dispositivo Android que se tornará o guardião da sua conta Google.

Vale notar que nem todos os smartphones Android podem ser usados para essa finalidade. Somente aparelhos com a versão 7 ou superior do software receberão suporte ao recurso de segurança, que – avisa a empresa – ainda está em fase beta.