Cão de mulher infectada por ebola na Espanha é sacrificado

A Secretaria de Saúde da comunidade Autônoma de Madri ordenou o sacrifício do animal e a posterior cremação do corpo.

O cachorro da mulher infectada por ebola na Espanha foi sacrificado nesta quarta-feira, informou o conselheiro de Saúde da comunidade autônoma de Madri, Javier Rodríguez.

“Infelizmente não houve outra alternativa”, disse o funcionário do governo regional madrilenho.

Uma caminhonete levou o animal do edifício onde mora a auxiliar de enfermagem infectada por ebola, Teresa Romero, em meio a protestos de várias pessoas que desde ontem estavam reunidas em frente ao local para pedir que ele não fosse sacrificado.

O marido de Teresa, Javier Limón, havia condenado a possibilidade de seu cão, chamado Excalibur, ser morto, e declarou que se tinha se negado “categoricamente” a dar sua autorização.

A Secretaria de Saúde da comunidade Autônoma de Madri ordenou o sacrifício do animal e a posterior cremação do corpo.

Excalibur foi sacrificado como medida preventiva contra a transmissão do mortífero vírus. Ele estava na residência de seus donos, e o presidente da ONG Mascotes Solidários, o veterinário Carlos Rodríguez, tinha assumido sua custódia.

Pouco antes de ser anunciado que o cachorro tinha sido sacrificado, Rodríguez informou à imprensa que haviam sido rejeitados os dois recursos apresentados para evitar sua morte.