Canon PowerShot SX 150 IS

logo-infolab

Avaliação de Airton Lopes / As opções de controles manuais tornam esta compacta da Canon com zoom de 12x uma alternativa interessante para quem não pretende ficar preso aos ajustes automáticos de câmera o tempo todo. A empunhadura é boa, mas a máquina tem o porte um pouco exagerado para um modelo de bolso, além do acabamento espartano. A qualidade das imagens produzidas nos testes do INFOlab foi satisfatória. O que incomoda é o tempo exagerado para a câmera da Canon salvar o arquivo e ficar pronta para o clique seguinte.

Avaliação de Giovana Penatti / Com 14,1 MP, a SX150 IS faz fotos com bastante fidelidade. A qualidade das fotos é boa para a categoria, mas enfrenta problemas conforme o ISO aumenta. As imagens ficam degradadas com facilidade quanto mais alto é o valor. A escala vai até 1600, mas são visíveis granulações a partir de 100, dependendo da situação. A partir de 400, a queda da qualidade fica bastante acentuada.

Também há um pouco de dificuldade em cenas com ampla gama dinâmica, que é a diferença de iluminação na mesma cena. Por exemplo, ao fotografar o céu (muito iluminado) e um prédio na sombra (pouco iluminado), a câmera se confunde na hora de captar e reproduzir a luz.

No modo macro, para fotografar objetos próximos à lente, a câmera consegue preservar os detalhes e cores sem problemas.

A objetiva escolhida para a SX150 IS tem abertura f3,4/5,6 e distância focal de 28 a 336 mm. O resultado é um zoom óptico de 12x que funciona bem, apesar da eventual demora para conseguir o foco. Também há um pouco de efeito barril no grande plano, que é amenizado ao longo da distância focal. Mas, mesmo no grande plano, não chega a incomodar.

A resolução máxima da filmagem é HD a 30 FPS e o áudio gravado é estéreo. O arquivo fica salvo no formato MOV. Para quem quiser ver as gravações direto numa televisão, há uma saída AV para isso. Quanto à imagem, pode-se dizer a mesma coisa que sobre as fotos: bastante fidelidade com o ambiente e boa qualidade.

Recursos

Para uma compacta, há bastante recursos tanto para quem tem conhecimentos em fotografia quanto para quem é um fotógrafo ocasional. Ela tem uma roda PASM, duas rodas genéricas de controle e uma quantidade de controles físicos que parece exagerada. Entre eles, temos um botão dedicado para gravar vídeos e outro para fotometria. Os ajustes finos permitem uma série de alterações, como controlar a cor da cena seletivamente.

Um atrativo para quem não sabe mexer nisso tão bem são os modos automáticos. Há três: Easy (que não disponibiliza nenhum ajuste e encontra sozinho a melhor configuração para capturar a imagem); Auto convencional (libera opções como uso de flash e detecção de face) e Live (seleção de cena automática com escalas de exposição, tom e intensidade de cor).

Outros modos diferentes são o Olho de Peixe (que deixa a foto com efeito “abaloado”, como as lentes olho de peixe fazem) e o Discreto (que desliga os LEDs e sons, permitindo uma captura de imagem silenciosa).

Também há opções de personalização no armazenamento, como criar novas pastas para organizar as fotos.

Design

A SX150 IS é fácil de operar e dá para acessar todos os controles com uma mão. Ela mede 11,2 por 7,3 por 4,5 centímetros e pesa 302 gramas. É maior que uma compacta comum, mas não é um tamanho que incomoda. O formato, com cantos arredondados, lembra o das câmeras de filme do final dos anos 90. Por ser um pouco mais gordinha, ela também se acomoda melhor na mão que a maioria das compactas, dando mais estabilidade e segurança, principalmente para utilizar o zoom.

Enquanto a qualidade de imagem é muito boa, o mesmo não pode ser dito sobre o visor de LCD. Ele tem resolução baixa mesmo para a tela pequena, o que resulta em granulações e perdas de detalhes. É melhor não acreditar nele no que diz respeito à qualidade da imagem obtida.

Quanto às informações que ele exibe, há dois modos: um sem nenhuma e outro com abertura, velocidade, status do flash, ISO, fotômetro, tamanho da foto e número de exposições. Nota-se um pequeno atraso em alguns momentos para a interface responder aos comandos.

Um diferencial dela – que reforça o déjà vu das câmeras de filme – é que não funciona com bateria, mas com duas pilhas AA. Isso é bastante incomum em câmeras digitais hoje. Tem seus prós e contras; por um lado, quem não tem pilhas recarregáveis precisa gastar dinheiro toda vez com isso. Por outro, se a câmera ficar sem energia no meio de um passeio, dá para comprar novas facilmente.

<

h3>Vídeo 

http://videos.abril.com.br/info/id/e69399225a65d6219a13f08a23f538a8

Ficha técnica

Pixels efetivos 14,1 MP
Zoom óptico 12x (28 a 336 mm)
Filmagem 720p
LCD 3
Armazenamento SD (vem com um de 4 GB)
Peso 302 g

Avaliação técnica

Prós Usa pilhas AA em vez de bateria; tem boa empunhadura; controles manuais supreendentemente completos; ajustes rápidos e fáceis; boa estabilização de imagem; bom custo/benefício.
Contras AF e interface geral lentos; informações poderiam ser mais completas.
Conclusão Versátil, é uma ótima compacta para usuários leigos e para quem sabe utilizar recursos um pouco mais avançados.
Imagem 7,3
Objetiva 8,3
Visor 7,5
Recursos 7,3
Design 7,5
Média 7.5
Preço R$ 599