Brics consideram espionagem espécie de terrorismo, diz Kremlin

Em reunião informal do grupo durante a cúpula do G20, Brics compararam a espionagem ao terrorismo

São Petersburgo – Os países dos Brics, grupo de nações emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, criticaram com dureza a espionagem de suas ligações telefônicas e de mensagens eletrônicas praticadas por agências de inteligência, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Em reunião informal do grupo durante a cúpula do G20, que está sendo realizada em São Petersburgo, estes países chegaram a comparar a espionagem ao terrorismo.

“Foi expressada uma postura muito dura perante a espionagem de alguns países contra os países dos Brics”, afirmou o porta-voz do governo russo. “É preciso buscar equilíbrio na liberdade da internet”.

A presidente Dilma Rousseff, que se encontrou hoje em São Petersburgo com o presidente americano, Barack Obama, cancelou a viagem aos Estados Unidos de uma equipe do governo que iria preparar sua visita a Washington prevista para 23 de outubro.

Segundo revelações feitas recentemente pelo jornalista americano Gleen Greenwald com base em documentos do ex-prestador de serviços da CIA Edward Snowden, a Agência de Segurança Nacional dos EUA espionou as ligações e e-mails de Dilma.

O governo brasileiro afirmou que a visita não está suspensa, mas ainda permanecem dúvidas se a viagem realmente irá acontecer.